Por bferreira

Rio - Com cerca de cinco mil vagas em vários segmentos e níveis de escolaridade, o setor de serviços continua a contratar e contribuindo para manter o estável o nível de emprego no Estado do Rio. A maior parte das oportunidades é de operador de telemarketing para a nova unidade da empresa Atento, que será inaugurada no bairro de Campo Grande, na Zona Oeste. O empreendimento oferece três mil chances.

Para o gerente do Boteco das Garrafas%2C Flávio Oliveira%2C o mercado sempre valoriza quem é trabalhador%3A ‘sempre há vaga para quem é bom’Carlo Wrede / Agência O Dia

“A nova central consolida nosso compromisso com o Rio. Estamos orgulhosos por contribuir para o desenvolvimento profissional de milhares de jovens da região”, afirma Nelson Armbrust, diretor-geral da Atento no Brasil.

Os interessados devem enviar o currículo para [email protected] ou entrar em contato pelo telefone 0800 771 4014. A empresa ainda tem outras 371 chances para as demais unidades espalhadas pela cidade. Os candidatos podem se cadastrar pelo site:www.atento.com.br ou também enviar currículo para o mesmo e-mail acima.

Conforme os dados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), divulgada pelo IBGE na semana passada, a população ocupada diminuiu em dois setores na comparação com fevereiro de 2014: indústria (-7,1%) e construção (-5,9%).

A primeira perdeu 259 mil postos de trabalho em um ano, sendo a maior parte no setor automobilístico (47 mil) e na indústria de alimentos e bebidas (46 mil). Já a construção demitiu 105 mil trabalhadores no período. Apenas em serviços houve alta significativa (7,1%). O comércio criou 65 mil vagas no período (1,5%). Já os serviços prestados a empresas contrataram 51 mil pessoas (1,4%).

Em momentos de retração, melhorar as competências e desenvolver habilidades são alguns dos requisitos para manter o emprego ou conquistar nova vaga, alerta a diretora de pesquisas da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), seção Rio, Iêda Vecchiori. Segundo ela, o comércio e o varejo ainda contratam e vale a pena, até mesmo, começar como temporário nos setores.

OPORTUNIDADES

Coordenadora de Comunicação da Simetria, empresa de recrutamento, Jéssica Fernandes diz que o nível de escolaridade torna-se cada vez mais exigente. “Se chega um currículo com nível de instrução maior, certamente este candidato ficará com uma vaga de Ensino Médio completo”, afirma Jéssica.

Gerente do Boteco das Garrafas, na Lapa, Flávio Ferreira Oliveira confirma que há muitas pessoas procurando emprego, o que facilita a seleção dos melhores.

“Sempre tem vaga para quem é bom. Para se destacar tem que ter dedicação, compromisso e responsabilidade, que são qualidades difíceis de se encontrar hoje em dia. O mercado valoriza quem é trabalhador”, explica.

A Secretaria Municipal de Trabalho possui 1.430 oportunidades para a próxima semana. Interessados devem enviar currículo para os e-mails [email protected] ou [email protected]

Para obter seguro, trabalhador dorme na calçada

Trabalhadores que buscam o seguro-desemprego no posto de atendimento do Ministério do Trabalho na Central do Brasil são obrigados a chegar ao local até 17 horas antes e dormir na calçada para conseguir uma das poucas senhas de atendimento. Conforme os desempregados, o sistema de agendamento eletrônico não funciona adequadamente. Já os atendentes alegam que o problema é no sistema do órgão federal.

Às 4h30 da madrugada de ontem, 53 pessoas aguardavam na calçada a abertura do posto Poupa Tempo, no subsolo da Central. Primeiro da fila, o vendedor Renato Ribeiro, 51 anos, criticava as condições: “Ao invés de Poupa Tempo isso aqui devia se chamar ‘Toma Tempo’. Você perde tempo, dinheiro para dar entrada num benefício. Não tenho palavras para definir o que o trabalhador desempregado passa exposto a uma situação dessas.”

O prazo para requerer o benefício é de 120 dias. Depois disso, o cidadão perde o direito ao seguro, o que tem feito muita gente correr aos postos.

A Superintendência do Ministério do Trabalho no Rio informou que adotaria plano de contingência nos postos para melhorar a capacidade de atendimento ao trabalhador.

Você pode gostar