Coluna do Aposentado: É preciso levar a saúde em conta para aposentar

'Grande parte das pessoas não se prepara psicologicamente para a aposentadoria', garante especialista

Por O Dia

Rio - A maioria dos trabalhadores quando pensa em se aposentar, em primeiro lugar, só tem atenção para viabilizar financeiramente o período que terá pela frente após parar de produzir. Muitos só se preocupam de quanto será o valor da aposentadoria que o INSS vai conceder ao completar as regras — seja para obter o benefício por tempo de serviço ou por idade. Outros fazem até plano de previdência privada para garantir o mesmo padrão de vida.

Segundo Tarso Lameri Sant’Anna Mosci, geriatra e presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia do Rio (SBGG-RJ), é preciso também levar em conta aspectos como cuidar da saúde e dar atenção ao lado psicológico para quando deixar o mercado de trabalho. Ele recomenda fazer um bom planejamento antes de dar entrada no pedido de aposentadoria no posto do INSS.

Saúde também tem que ser levada em conta na hora de se aposentarDivulgação

“Na verdade, grande parte das pessoas não se prepara psicologicamente para a aposentadoria. Muitos pensam apenas no lado financeiro, sem perceber que a vida vai mudar de uma maneira drástica, considerado a questão física e até emocional”, avalia Mosci.

O médico lembra que é muito comum as pessoas fazerem planos futuros mas sem planejamento. Mas não levam em consideração que quanto mais velhos menos capacidade física terão para concretizar esses sonhos. Por isso, Tarso Mosci orienta que é importante cuidar da saúde para que se tenha condições de aproveitar a Terceira Idade. “É preciso aproveitar o presente quando você ainda está em boas condições físicas para viajar, por exemplo”, afirma o médico.

Segundo o especialista, não conseguir tirar os planos do papel depois de parar de trabalhar pode fazer o aposentado ficar doente, entrar em depressão, ver sentimento de frustração aflorar fortemente.

“Ao se aposentar não quer dizer que a pessoa deve ficar parada. Manter uma atividade física, se sentir produtivo até mesmo em uma outra atividade profissional servirá de motivador para poder concretizar os planos. O grande problema é gerar expectativas e não atingi-las. Isso pode fazer o aposentado adoecer”, adverte.

Especialistas recomendam também voltar a estudar. Pode ser algum curso interessante, de idioma estrangeiro com aulas a distância. Há faculdades oferecem cursos especiais para pessoas com mais de 60 anos. Médicos e psicólogos incentivam a procurar por aquela atividade que melhor se encaixe às necessidades dos novos aposentados.

Hobby é uma saída

Passar a ter um hobby, qualquer que seja a atividade proposta, também é uma boa saída nesse momento. Fazer algo divertido, que as horas passem sem que você perceba pode ser estimulante. Especialistas indicam buscar algo em áreas de interesse em esporte, trabalhos manuais, leitura, filmes, jardinagem, jogos de cartas, boliche e até selos, tão em desuso atualmente.

Ser sócio de clube

Ser sócio de um clube também está na lista de decisões que o aposentado pode tomar para se divertir. É um ótimo lugar para encontrar os amigos e companheiros de atividades. Assim, dá para manter relacionamento pessoal e não ficar isolado, acompanhando e participando de reuniões, eventos, palestras interessantes, festas e encontros com os amigos.

Últimas de _legado_Economia