Por bferreira

Rio - A coluna recebeu denúncia na quarta-feira de uma funcionária terceirizada do Hospital Federal de Ipanema informando que todo o efetivo de limpeza estaria há três meses recebendo os salários com atraso. Segundo a auxiliar de serviços gerais de 42 anos, que não quis se identificar, a empresa Prol Central de Serviços — antiga Facility — também não estaria depositando o adicional noturno nem o FGTS.

A empresa foi procurada, mas não foi encontrada nos telefones e endereços eletrônicos disponíveis. Ontem, o Ministério da Saúde no Rio esclareceu que “a referida empresa não apresentou as notas fiscais dos meses de fevereiro e março de 2015, o que inviabiliza o repasse dos respectivos pagamentos” e informou que tomará as providências cabíveis, de acordo com as orientações da Advocacia Geral da União (AGU).

Ainda de acordo com o ministério, o Hospital Federal de Ipanema fará já neste mês novo processo de licitação para a contratação de outra empresa.

Segundo a auxiliar de serviços gerais, os funcionários terceirizados que estão sem receber já tentaram entrar em contato com o setor de Recursos Humanos da Prol, mas tiveram a entrada impedida no prédio da empresa.

“Na portaria não nos deixam entrar. Só temos acesso ao nosso supervisor no hospital”, afirma.

Você pode gostar