Por bferreira

Rio - As secretarias e órgãos estaduais tiveram que apertar o cinto no primeiro semestre deste ano, para apresentar os primeiros resultados dos cortes determinados pelo governador Luiz Fernando Pezão no começo deste ano. As pastas foram obrigadas a diminuir gastos com luz, água, transporte, telefone e demais setores burocráticos em até 20%.

A Secretaria Estadual de Educação, órgão que possui 41,19% do total dos servidores públicos do estado, com 83.789 ativos, por exemplo, elabora cartilha com o intuito de reduzir o consumo de água, luz e telefone nas 1.290 unidades escolares da rede.

A ideia é que reduzam 10% dos valores nas contas nos dois primeiros meses de implementação das regras, referentes aos serviços citados. A cartilha será divulgada nos portais da secretaria até o fim deste mês. A pasta também negociou todos os contratos dos imóveis alugados pela pasta. Esse ano, haverá a devolução de cinco dos 16 imóveis que são alocados pela secretaria.

Segundo maior contingente de pessoal com 47.898 servidores estaduais, total de 17,85% do quadro de funcionários, a Polícia Militar também se adequou ao Decreto 45.109/15 que estabeleceu redução de pelo menos 20% dos contatos em vigor. O comandante-geral da PM, coronel Pinheiro Neto, estabeleceu ações estratégicas para reformular a gestão logística e financeira da corporação. A estimativa é que haja redução de R$ 7,5 milhões por ano na revisão dos principais contratos.

Já o Corpo de Bombeiros, com 16.007 servidores ativos, adotou medidas de redução de gastos nas unidades para também se adequar ao decreto. “No que diz respeito à Defesa Civil, foram desligados 300 aparelhos celulares. Ajustes estão em andamento para que 110 aparelhos móveis do Corpo de Bombeiros também fiquem inoperantes. No quesito telefonia fixa, 50 números já foram desligados. Outros 100 devem ser desligados em breve”, detalhou a corporação por meio de nota.

A lavagem de pátios, áreas comuns e demais ambientes do aquartelamento também está proibida, devendo priorizar o uso de baldes e varrição. No que diz respeito às viaturas, a orientação é evitar trajetos repetidos no mesmo dia e manter os veículos desligados quando estiverem estacionados.

As secretarias de Planejamento e de Fazenda, integrantes da Comissão de Planejamento Orçamentário e Financeiro do Estado do Rio (Copof), também têm feito o dever de casa. A Fazenda criou comissão específica que propôs medidas para baixar o consumo de despesas correntes, garantindo o cumprimento do decreto.

A Secretaria de Planejamento diminuiu em 98% o consumo de energia elétrica em janeiro deste ano, em comparação ao mesmo período de 2014. Já em fevereiro foi 81% menor do que o mesmo mês do ano passado. O consumo de água caiu 97% em janeiro e em 60% em fevereiro. Março está sendo fechado.

SAÚDE TAMBÉM CORTA

A Secretaria de Saúde informou à coluna que de janeiro a março deste ano tem implementado ações para reduzir os gastos administrativos. No período houve redução de 35% nas gratificações e cargos comissionados. O órgão deu início a uma política de contenção de despesas com diárias e diminuição permanente em 20% nos contratos com serviços de manutenção.

CONSCIENTIZAÇÃO

O Rioprevidência, órgão responsável pela folha de pagamento dos aposentados e pensionistas, também adotou medidas de incentivo a economia de luz e água. Foi solicitado a todos os servidores que o uso das impressoras seja consciente, fazendo reciclagem de papel branco e jornal e reaproveitando folhas que não podem ser recicladas para blocos de rascunho.

Você pode gostar