Por felipe.martins

Rio -   Com 37% da população endividada, o consumidor tem nova oportunidade de colocar a vida financeira em ordem. O 4º Super Feirão Limpa Nome vai oferecer descontos que podem chegar a 95% da dívida entre os dias 28 de abril e 8 de maio. O evento é online e os interessados poderão acessar o site 24 horas.

Para ver se está negativado é preciso entrar no site da Serasa (goo.gl/Df14ji) e fazer um cadastro. Clique em uma das empresas participantes, e caso constar débito, aparecerá um boleto com o desconto já estipulado com as parcelas. Será preciso apenas imprimir e pagar.

Feirão da Serasa para endividados negociarem com credores vai acontecer de 28 de abril a 8 de maio Divulgação

Caso o consumidor não esteja satisfeito com o desconto ou o número de parcelas, ele poderá ter disponível na mesma página do boleto um número de telefone ou um acesso a um chat, onde será será atendido por um atendente da empresa. Nessa situação, o boleto chega em casa ou por e-mail.

Gerente de recuperação de crédito da Serasa Consumidor, Raphael Salmi espera ultrapassar as 2,7 milhões de pessoas que procuraram o serviço ano passado. “O número de inadimplentes vem crescendo, e nesses quatro anos mais consumidores estão nos procurando e tentando resolver sua pendências”, diz. “Porém, acredito que a maior procura se dá pelo serviço ser o mais conhecido”, completa.


De acordo com dados da Serasa, o feirão online poderá beneficiar cerca de 40% da população adulta do país — com mais de 18 anos que está inadimplente. No Rio, a negociação será apenas pela internet. Mas antes de pagar a dívida, é preciso colocar na ponta do lápis todas as despesas fixas e dívidas assumidas ou previstas, explica o superintendente da Serasa Consumidor, Júlio Leandro.

“O consumidor deve ouvir a proposta e se não estiver de acordo, é importante fazer uma contraproposta, até que ambos cheguem a uma alternativa”, disse Leandro. “O importante é que depois de renegociada, a dívida caiba no bolso, acrescenta.

55 milhões de endividados

Já são 55 milhões de brasileiros de 18 e 95 anos que estão negativados em bancos ou outros serviços que implicam pagamento de boletos, como água, luz e telecomunicações. É o que mostram os dados divulgados ontem pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas.

Algumas empresas participantesDivulgação

As dívidas não pagas também aumentaram, com variação de 3,46% em relação ao mesmo período do ano passado. Já os maiores aumentos em relação à participação dos setores foram água, luz, telecomunicações e bancos e financeiras.

Segundo o presidente da confederação, Honório Pinheiro, embora o setor de varejo trabalhe de forma anticíclica, as variáveis macroeconômicas influenciam o consumo da população. “A economia está parada e a política, que a influencia diretamente, vive momentos difíceis no Brasil”, afirmou o executivo da CNDL.

Você pode gostar