Por fernanda.macedo

Brasília - O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, admitiu nesta terça-feira que a economia do país poderá fechar este ano com um índice de crescimento negativo, assim como preveem os analistas do mercado e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

"Hoje o mercado tem essa avaliação e em nossos documentos usamos as informações do mercado", disse Levy sobre as previsões divulgadas pelo FMI, que coincidem com as de analistas de bancos brasileiros que apontam que a economia se contrairá este ano 1%, após ter crescido apenas 0,1% em 2014.

'Temos que corrigir algumas coisas agora para acelerar a retomada do crescimento', afirmou o ministroDivulgação

Em declarações a jornalistas, Levy não quis comentar sua própria previsão, mas avaliou a confiança que o FMI demonstrou no ajuste fiscal do governo brasileiro. "Em particular, o FMI chamou a atenção para a importância de o Brasil concluir o mais rápido possível o programa de ajuste, pelo menos até a economia voltar a crescer", assinalou.

Segundo Levy, essa é a intenção do governo de Dilma Rousseff e o sucesso do ajuste dependerá do comportamento da economia e do Produto Interno Bruto (PIB) do país. "Temos que corrigir algumas coisas agora para acelerar a retomada do crescimento", explicou o ministro.

Você pode gostar