Nova chance de negociar as dívidas

Feirão para limpar nome é prorrogado até sexta-feira. Consumidor recebe proposta pela internet

Por O Dia

Rio - Consumidores que estão com o nome sujo na praça terão mais uma semana para regularizar sua situação no Super Feirão Limpa Nome Online da Serasa Experian. O serviço, que acabaria ontem, foi prorrogado até a próxima sexta-feira e já permitiu que 1,1 milhão de pessoas renegociassem suas dívidas com descontos e condições especiais de pagamento.

Mario Ferreira não apresenta dívidas no Serasa%2C mas há quatro anos teve seu nome listado no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC)Agência O Dia

Para participar do evento, basta entrar no www.serasaconsumidor.com.br/limpa-nome-online e preencher um cadastro. O sistema abrirá uma página, onde estarão listadas todas as empresas participantes. Ao clicar no nome da companhia, aparecem as dívidas em atraso e os canais de atendimento disponíveis, como telefones, e-mail e/ou chat.

A partir daí, o consumidor pode entrar em contato com os credores por um desses canais e enviar proposta. A empresa responderá diretamente ao cliente, concluindo a negociação. Em alguns casos é possível que o boleto já esteja disponível, a partir de uma sugestão feita pelo credor, que o consumidor pode aceitar ou não.

Segundo o gerente de Recuperação de Crédito da Serasa, Raphael Salmi, a busca dos consumidores por soluções para a inadimplência foi intensa. E a prorrogação dará chance a mais para quem não conseguiu se beneficiar.

“Tivemos ótimo retorno dos credores em relação ao volume de renegociações com consumidores e resolvemos estender para que outras pessoas também possam aproveitar. O cidadão está disposto a pagar dívidas e as empresas oferecem condições e descontos especiais para que ele saia da inadimplência”, afirmou Salmi.

Mais de 50 empresas participam da ação. Entre elas, Banco do Brasil, Banco Honda, Banco Itaucard, Banco Pan, Cartões American Express, Casas Bahia, Celpe, GVT, HSBC, Porto Seguro Cartões, Santander e TIM.

O técnico de telecomunicações Mario Sergio Ferreira, 26 anos, elogiou a iniciativa do Serasa. “A possibilidade do consumidor poder negociar sua dívida em casa, sem gastar dinheiro com transporte, é bastante interessante. Vou aproveitar o prazo para consultar meu nome e ver se tenho alguma dívida”, conta.

De acordo com o Serasa, o site do feirão é desenvolvido em ambiente protegido, que garante a segurança de todos os dados dos consumidores. Assim, quem não tiver internet em casa, pode acessar a página de qualquer computador, sem correr riscos.

Mas quem preferir, pode também comparecer a uma das cinco agências da Serasa no Rio. Endereços em www.serasaexperian.com.br/quem-somos/agencias/rio-de-janeiro/.

Organização financeira é importante

Para José Vignoli, educador financeiro do site Meu Bolso Feliz, a falta de planejamento das finanças pessoais é a principal motivo de endividamento no país.

“Se organizar para pagar as contas em atraso é o primeiro passo para sair da inadimplência. Tome consciência do valor atual de sua dívida e entenda como ela cresceu e saiu do seu controle”, sugere.

Segundo ele, é importante não ter receio de procurar o credor para renegociar. “Dívidas em aberto viram uma bola de neve e quando você resolve enfrentar a questão, o problema já ficou muito maior”, conclui.

Endividamento vai a 61,6% em abril

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mostra que, em abril, o percentual de famílias endividadas subiu 61,6%, o que representa alta de dois pontos percentuais em relação aos 59,6% de março. Mas houve queda se comparado aos 62,3% de abril de 2014. Em fevereiro, o índice foi de 57,8%.

A proporção de famílias com dívidas ou contas em atraso também aumentou na comparação mensal, passando de 17,9% em março para 19,7% do total em abril de 2015. Entretanto, houve queda no percentual de famílias inadimplentes em relação a abril de 2014, quando esse indicador alcançou 21%. O percentual de famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso aumentou na comparação mensal, mas permaneceu estável na comparação anual, alcançando 6,9% em abril de 2015, ante 6,2% em março de 2015 e 6,9% em abril de 2014.

Para a CNC, fatores sazonais relacionados ao maior comprometimento da renda das famílias com gastos extras de início de ano continuaram influenciado os resultados da pesquisa. De acordo com a entidade, a moderação do crescimento do crédito para as famílias continua permitindo patamares menores de endividamento e inadimplência neste ano, em comparação ao ano passado.

Últimas de _legado_Economia