Economia brasileira recua 0,2% no primeiro trimestre

Dados do PIB do 1º trimestre foram divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, no Rio. Única atividade que cresceu foi a agricultura, com alta 4,7%

Por O Dia

Rio - A atividade econômica brasileira recuou 0,2% no primeiro trimestre deste ano, na comparação com quarto trimestre de 2014, na série com ajuste sazonal. Na comparação com o primeiro do ano passado a queda foi mais acentuada, de 1,6%. A agricultura foi a única atividade que apresentou crescimento no período.

Os dados do Produto Interno Bruto (PIB, a soma de todos os bens e serviços produzidos por um país em determinado período) foram divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Em valores correntes, o PIB do período alcançou R$ 1,408 trilhão.

No acumulado dos quatro trimestres terminados no primeiro trimestre de 2015, o PIB registrou queda de 0,9% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores.

Agricultura foi a única atividade que apresentou crescimento no período pesquisadoAlexandre Vieira / Agência O Dia

A agricultura foi a única atividade que apresentou crescimento no primeiro trimestre na comparação com o quarto trimestre de 2014. Pela ótica da oferta, apenas a agricultura cresceu 4,7% (R$ 79,6 bilhões), enquanto recuaram a indústria (-0,3%) e serviços (-0,7). Pela ótica da despesa, todos os componentes da demanda interna recuaram em relação ao trimestre anterior: investimentos (Formação Bruta de Capital Fixo, recuou 1,3%), consumo das famílias (-1,5%) e consumo do governo (-1,3%).

A taxa de investimento no primeiro trimestre de 2015 foi de 19,7% do PIB, abaixo do observado no mesmo período do ano anterior (20,3%). A taxa de poupança foi de 16% no primeiro trimestre de 2015 (ante 17,0% no mesmo período de 2014).

A queda da indústria foi menos acentuada do que se esperava, apoiada no crescimento da atividade extrativa mineral (3,3%) e construção civil (1,1%) cresceram. Já eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana (-4,3%) e indústria de transformação (-1,6%) caíram.

Nos serviços, a queda foi puxada por transporte, armazenagem e correio (-2,1%), por administração, saúde e educação pública (-1,4%), Outros serviços (-1,4%), Intermediação financeira e seguros (-0,8%) e comércio (-0,4%). Já atividades imobiliárias e serviços de informação cresceram 1,2% e 1,1%, respectivamente.

No setor externo, as exportações e as importações de bens e serviços subiram, respectivamente, 5,7% e 1,2% em relação ao trimestre imediatamente anterior.

Últimas de _legado_Economia