Gilberto Braga: Com os gastos na corda bamba

Parar de comer fora pode ser uma solução para equilibrar o orçamento da casa

Por O Dia

Rio - Participei esta semana de uma reportagem na TV que analisou os gastos das famílias. De acordo com pesquisa de um instituto especializado, estamos no empate técnico do equilíbrio financeiro. Explicando melhor, 49% das famílias brasileiras gastam mensalmente mais do que a renda familiar. Atualmente, em média, cada família brasileira tem uma renda de R$ 2.994 e gasta, R$ 2.968, sobrando um troco de R$ 26, que não dá nem para depositar na poupança.

Entre a metade endividada, no entanto, o buraco é bem fundo, porque a renda média é de R$ 2.139 e a despesa mensal alcança R$ 3.506, deixando um furo de 39% todo mês, que equivale a R$ 1.367. Essas famílias costumam recorrer às modalidades de endividamento disponíveis na economia para tentar zerar o mês. O problema é que como as dificuldades hoje são imensas, com a economia fraca e os juros nas alturas, o risco de se enrolar com os parcelamentos nos cheques, cartão de crédito e o cheque especial são grandes.

A pesquisa comprovou que o item que mais tem pesado no orçamento são os gastos com a habitação. Ou seja, muita gente que se descontrolou não foi por conta de consumismo desenfreado, mas em função dos aumentos com alimentação, transporte e manutenção da moradia, aí computando-se a energia elétrica e água, cujos preços dispararam.

O levantamento também apontou que a solução mais adotada pelas famílias para reverter esta situação foi parar de comer fora de casa. Em vez frequentar restaurante, preparar a própria refeição até para levar para o trabalho nos dias úteis. Uma curiosidade detectada é que as vendas de pratos prontos congelados disparam nos supermercados e se tornaram uma alternativa.

Gilberto Braga é professor de Finanças do Ibmec e da Fundação Dom Cabral

Últimas de _legado_Economia