Por bferreira

Rio - É preciso ter seriedade para ao usar cartão de crédito. Não representa símbolo de status, também não faz parte da renda mensal e muito menos não propicia momentos de prazer e felicidade como dizem nos comerciais.

Os consumidores devem ter cuidados com os juros altos cobrados por administradores de cartão e bancos. Se você usa cartão de crédito, uma parte do seu salário já fica com as empresas pelo fato dos comerciantes embutirem os custos do dinheiro de plástico no preço de todos os produtos.

Havendo um pequeno descuido, no caso de atrasar o pagamento da fatura, por exemplo, o seu cartão de crédito estará de prontidão para cobrar taxas de juros maiores do que 300% ao ano. Sendo assim, é preciso ter muito cuidado.

Por Jair Abreu Júnior

PERGUNTA E RESPOSTA

“O orçamento está começando a apertar. Quando parcelar o cartão de crédito é vantajoso para economizar dinheiro?”

Everton, Niterói

Everton, quando a situação financeira apertar, prefira fazer um empréstimo pessoal. Busque opções de crédito mais em conta. Você não vai precisar se esforçar muito para conseguir isso.

Todas as saídas são mais baratas do que os juros cobrados pelo cartão. É inacreditável, mas existem pessoas que compram no cartão de crédito com a falsa sensação de que estão adquirindo um produto sem gastar nada.

Existem estudos que mostram que a dor ou o sentimento de culpa durante a compra de um produto usando o cartão de crédito é menor se comparado com a transação em dinheiro. O cartão sai da sua carteira e volta para a mesma, da forma que saiu, pois nessa operação você não sentiu a sensação de perda física de dinheiro. O que os olhos não podem ver o coração não sente, diz o ditado! Você realmente precisa sentir a dor do dinheiro saindo das suas mãos. Nesse ponto entra a “educação financeira”.

Você precisa desenvolver a percepção de que o cartão de crédito é uma poderosa máquina de destruição da sua renda futura. Se você não tem dinheiro, você realmente não tem dinheiro. O uso do cartão de crédito permite que você gaste hoje aquele dinheiro que ainda não tem. É como contar com os ovos dentro da galinha, certo? O desconforto que você sentiria pagando à vista só virá no futuro, com a chegada da fatura do cartão de crédito em sua casa.

Em geral, não nos importarmos muito com o que poderá acontecer no futuro, e isso sem dúvidas, faz com que muitas pessoas fiquem em situação, até desesperadora com relação às finanças. É preciso mudar esse comportamento e a forma de encarar o cartão de crédito.

Ele não deve ser visto como um realizador de sonhos, um produtor de felicidade. Ele precisa ser visto como uma arma perigosa que não sendo usada da forma adequada poderá gerar enormes prejuízos e sofrimentos.Boa sorte!

Jair Abreu Júnior é coordenador em Gestão Financeira da Universidade Estácio de Sá

Você pode gostar