Atrasos na conta: Será que há luz no fim do túnel

Gilberto Braga explica: Sai mais barato atrasar a conta de luz do que usar o limite do cheque especial

Por O Dia

Rio - Pesquisas de diferentes fontes confirmam o que todos nós já sabemos: a situação econômica fica cada dia pior, tanto para o país, quanto para o bolso da gente. No cenário nacional, a aprovação do governo caiu para apenas 10%, a inflação não cede, os juros só sobem, o ajuste fiscal ainda vai demorar para surtir efeito, o desemprego já assusta, aumentaram o tempo para a aposentadoria e a cada dia os problemas derivados da Operação Lava Jato, da Petrobras, assustam mais o país.

No cenário doméstico, constatou-se que o brasileiro está atrasando mais as contas de concessionárias de serviços, e dentre elas, a campeã é a de energia. Entre maio do ano passado e o mesmo mês deste ano, a inadimplência marcou 14%. Já na média geral, cerca de 7% dos consumidores estão deixando de pagar as contas de luz nos vencimentos. Há muitas teorias para explicar. A mais óbvia é a de que como a conta de luz foi a que teve o maior aumento e se tornou a mais cara, é aquela que está pesando mais no orçamento e ficando atrasada na quitação.

Há gente que faz rodízio, e a cada mês atrasa uma conta de concessionária diferente. Dessa forma, não deixa acumular para não cortarem o serviço. A razão disso também é simples, a multa nessas contas é só de 2%, já nos boletos em geral a multa é de 20% e mais acréscimos de juros por dia de atraso.
Nesse cenário de notícias ruins, fecha-se o zíper com a pesquisa do Banco Central sobre os juros, que bateram todos os recordes. As taxas médias do cheque especial alcançaram 10,51% ao mês ou 232% ao ano.

Ou seja, fica a dica, é mais barato atrasar a conta de luz do que usar o limite do cheque especial para pagá-la em dia.

Gilberto Braga é professor de Finanças do Ibmec e da Fundação Dom Cabral

Últimas de _legado_Economia