Sucesso nos negócios: Como formatar o preço?

Para qualquer comerciante ou prestador de serviço, estabelecer o preço do seu produto é um desafio

Por O Dia

Rio - Para qualquer comerciante ou prestador de serviço, estabelecer o preço do seu produto é um desafio. Principalmente em momentos de crise, é comum ter dúvidas sobre o valor. Se for baixo demais, pode dar prejuízo. Se for muito alto, pode afastar os clientes.

Para colocar um preço justo, é importante levar em consideração os custos de produção e as despesas fixas e variáveis do negócio. Além disso, vale a pena avaliar os valores cobrados pela concorrência para saber se os preços estabelecidos estão de acordo com o mercado. Também vale lembrar que o empresário precisa ter uma margem de lucro.

Ou seja, as variáveis são muitas. E o empreendedor precisa estudar com cuidado todas as questões antes de colocar seu preço.

Por Cezar Vasquez

PERGUNTA E RESPOSTA

“O que devo levar em consideração na hora de estabelecer o preço do produto que irei vender?”

Gisele Correa, e-mail

Prezada Gisele, em tempos de aperto financeiro e retração do consumo, o preço passa a ser um grande diferencial na hora de escolher um produto. E o desafio, portanto, é estabelecer um valor que garanta a venda sem comprometer a qualidade.

Um dos pontos mais importantes para se chegar a um preço atrativo é analisar a concorrência. Com a ajuda da internet, você poderá fazer rapidamente uma pesquisa de preço dos produtos similares e, a partir dessa avaliação, ter uma ideia do valor praticado pelos concorrentes. Também é importante observar a demanda de mercadorias/produtos/serviços que pode ser atendida em determinados períodos e eventos especiais, como festas e datas comemorativas.

Além da variável externa, é preciso levar em conta alguns aspectos internos, como custo, despesa, histórico de vendas, estoque e formas de pagamento. Vale a pena lembrar os elementos básicos de composição do preço: custo e despesa. Custo é o gasto feito para produzir (fabricar ou revender) o produto ou serviço contratado. Esse item está relacionado com a atividade-fim e gera um retorno financeiro.
Despesa é o gasto relativo à administração da empresa (pagamento de salários, contas de luz, água, aluguel, condomínio, entre outros) que não contribui diretamente para a produção. As despesas podem ser divididas em: fixas — listadas acima — ou variáveis, como pagamento de comissão aos vendedores, por exemplo.

Como você pode perceber, Gisele, são muitos os aspectos a serem considerados para estabelecer o preço de um produto/serviço. O Sebrae/RJ oferece um curso gratuito à distância sobre formação de preços: https://ead.sebrae.com.br/cursos/formacao-do-preco-de-venda. Nossos técnicos também podem apresentar diagnósticos para situações específicas. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Relacionamento, por meio do telefone 0800 570 0800.

Cezar Vasquez é superintendente do Sebrae-RJ. Amanhã, Sucesso nas Compras

Últimas de _legado_Economia