Por clarissa.sardenberg

Rio - Repetido como mantra no passado e ainda sendo a aposta de muitas marcas hoje em dia, a eficácia da violência e da sexualidade nas propagandas foram questionadas por estudiosos norte-americanos. Uma análise publicada nesta segunda-feira no "Psychological Bulletin", da Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos,  revela o poder que anúncios sensuais têm sobre o público.

Cervejarias costumam apelar para sexualidadeDivulgação

Segundo a pesquisa, quando o anúncio é sensual, o consumidor tende a prestar mais atenção ao “formato”, esquecendo o “conteúdo” da mensagem.

O pontos mais relevante do estudo ficou por conta dos anúncios violentos.

De acordo com a análise, eles foram classificados como os mais perigosos quando se leva em conta a recepção do público: consumidores podem não dar atenção ao produto ou, pior ainda, vincular a imagem violenta ao mesmo.

"Parece que os anunciantes estão começando a entender que um conteúdo sexual ou violento nem sempre é uma aposta recomendável", diz a conclusão do estudo.

A pesquisa, que envolveu 53 estudos e 8.498 participantes, mediu a influência de sexo e violência e sua efetividade em relação à lembrança e à intenção de compra do consumidor. A conclusão foi também que comerciais no intervalo de filmes e séries de TV com esse tipo de conteúdo tem um efeito menor de “retenção” do que os comerciais direcionados ao público em geral.

Você pode gostar