Fatores negativos na economia se refletem no menor consumo de energia

Segundo dados da ONS, valores de carga energética gerada no país apresentaram queda de 3,4% em relação a 2014

Por O Dia

Brasília - Os valores de carga de energia gerada no país, no total de 61.041 megawatts (MW) médios, no mês de agosto de 2015, apresentam queda de 3,4% em relação aos valores verificados no mesmo mês do ano anterior.

De acordo com o Boletim de Carga Mensal do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) houve um aumento de energia em agosto de 1,6% em relação ao mês anterior. Já no acumulado dos últimos 12 meses, o Sistema Interligado Nacional (SIN) apresentou uma variação negativa de 0,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já o nível de utilização da capacidade instalada recuou 0,5 ponto percentual entre julho e agosto, ao passar de 78,2% para 77,7%, o nível mais baixo desde outubro de 1993, quando registrou 77,1%.

Segundo o ONS, apesar de agosto ter registrado temperaturas mais elevadas em relação ao ano anterior, nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul, fatores desfavoráveis, como o baixo desempenho da indústria, diante dos estoques excessivos e da demanda interna fraca, contribuíram amplamente para o comportamento da carga. Além disso, contribuiu também para esse resultado a redução no nível do setor de comércio e serviços.

O boletim do ONS destaca ainda que a elevação das tarifas de energia elétrica decorrente das bandeiras tarifárias, da revisão tarifária extraordinária e do reajuste anual das tarifas, vem se refletindo nos padrões do consumo de energia, contribuindo para a redução da carga, principalmente nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul, onde o peso dos reajustes tarifários tem sido maior.

Nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, a queda na carga de energia gerada em agosto chegou a 4,8% em relação ao mesmo mês do ano anterior, apesar de uma variação positiva em relação a julho passado. O Operador Nacional do Sistema Elétrico explica que a variação negativa neste subsistema deve-se, principalmente, ao modesto desempenho da indústria, cuja participação na carga do Sistema Interligado Nacional é de cerca de 60%.

Na região Sul, a queda no consumo total de energia em agosto foi de 5,1% em relação ao mesmo mês do ano anterior, com queda de 1,4% em relação a julho último. A taxa de crescimento negativa, dever-se, segundo o ONS, ao cenário econômico atual e à redução do consumo de energia decorrente do aumento das tarifas de energia elétrica.

No Nordeste, houve crescimento de 1% no consumo de energia em relação ao mesmo mês do ano passado e de 1,5% em relação a julho último. De acordo com o ONS, a região vem sofrendo menor impacto da conjuntura econômica e da elevação das tarifas de energia do que nas outras regiões do país.

No Norte, o crescimento do consumo de energia em agosto foi ainda maior, com 2,5% em relação ao mesmo mês do ano anterior e uma variação positiva de 4,1% em relação a julho. No acumulado dos últimos 12 meses, o Norte apresentou uma variação negativa de 1,0% em relação ao mesmo período anterior.

Últimas de _legado_Economia