Gilberto Braga: Governo está em uma sinuca na economia

Cada proposta de mais imposto tem um autor diferente, mas quando recebe críticas fica sem pai

Por O Dia

Rio - Quem conhece o jogo de sinuca já ouviu a expressão sinuca de bico. Trata-se de uma situação onde o jogador se encontra sem uma saída. Tecnicamente, é quando a bola da vez está atrás de outras bolas de forma que a bola branca fica impedida de acertá-la. O jogador, ao tentar a tacada, pode acabar encaçapando a bola errada.

De forma análoga, o governo se meteu numa sinuca de bico na economia. Está precisando fechar orçamento de 2016 com o Congresso Nacional e não se entende sobre como vai fazer para cobrir um déficit de pouco mais de R$ 30 bilhões. Uma hora fala em recriar a CPMF, depois em aumentar a CIDE combustíveis (passando de R$ 0,10 para R$ 0,60 em cada litro abastecido), aumentar o IPI de alguns produtos (dentre eles o dos cigarros), aumentar o IOF (incidente sobre transações financeiras) e por fim aumentar o imposto de renda das pessoas físicas.

Cada proposta tem um autor diferente, mas a medida em que é sugerida e recebe críticas de tudo quanto é lado, deixa de ter pai e é colocada de lado. A base política do governo está esfacelada por conta dos escândalos e ninguém tem certeza de nada quanto ao que se consegue aprovar no Congresso Nacional.

A única certeza que se tem é que aumentar tributos é a solução mais preguiçosa que pode existir, sobretudo quando se pensa em termos de imposto de renda dos trabalhadores. Depois de tudo que se desviou de recursos públicos no país é fácil empurrar a conta para o povão pagar. Por outro lado, fica a sensação de que o governo não cortou despesas na própria casa. Enquanto isso, fica a percepção de paralisia total no país e que deixamos de ser a bola da vez para ficarmos em sinuca durante muito tempo.

Gilberto Braga é professor de Finanças do Ibmec e da Fundação Dom Cabral

Últimas de _legado_Economia