Redes sociais: Saiba utilizá-las a favor dos negócios

As redes sociais são cada vez mais utilizadas por microempreendedores para divulgar e comercializar produtos

Por O Dia

Rio - As redes sociais são cada vez mais utilizadas por microempreendedores para divulgar e comercializar produtos e serviços. Instagram, WhatsApp, Facebook e Twitter estão entre as campeãs.

Pela internet e pelo celular, o contato com os clientes ficou mais rápido e frequente. Em um clique, é possível anunciar promoções para centenas de clientes. Antes da internet, fazer publicidade era algo impensável para micro e pequenos empreendedores. Hoje, todo negócio pode ter um perfil em uma rede social, de graça, e falar diretamente com seu público.

Embora não execute vendas, o WhatsApp é cada vez mais usado por micro e pequenos empreendedores.
Para utilizar bem esses canais, leia abaixo e aproveite para saber também como formalizar seu negócio.

Por Cezar Vasquez

PERGUNTA E RESPOSTA

Faço brigadeiros e uso bastante as redes sociais na divulgação. Penso em utilizar, também, o WhatsApp. Você acha isso uma boa ideia? Aproveito para saber como me formalizar o negócio. 

Shirley Fonseca, e-mail

Oi, Shirley. Todas essas ferramentas de comunicação são interessantes porque alcançam um grande número de pessoas gratuitamente.

O WhatsApp é o aplicativo de mensagens pelo celular mais usado no Brasil e, em poucos anos, tomou o espaço das mensagens de texto tradicionais. Com inúmeros recursos para enviar arquivos de texto, imagem, vídeo e áudio sem restrição de tamanho, o aplicativo se torna uma excelente vitrine para você anunciar novos tipos de brigadeiro e divulgar promoções. Basta criar um grupo com os contatos de seus clientes para a divulgação mais rápida. As mensagens em tempo real têm retorno instantâneo.

Ainda não é possível efetuar vendas pelo aplicativo, mas um bom atendimento e produtos de qualidade garantem a fidelização.

Quanto à formalização, você deverá se cadastrar como Microempreendedor Individual (MEI), ou seja, quem trabalha por conta própria e se legaliza como pequeno empresário. Para isso, seu faturamento deve ser de, no máximo, R$ 60 mil por ano e você não poderá ter participação em outra empresa como sócia ou titular.
Como MEI, é possível contratar um funcionário e ter um registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita a emissão de notas fiscais e abertura de conta bancária.

Isso é ótimo para seu negócio, pois você poderá fornecer para empresas e aumentar seus lucros. Como o MEI, estará enquadrada no Simples Nacional, assim, fica isenta dos tributos federais (IR, PIS, Cofins, IPI e CSLL) e pagará apenas um valor fixo mensal de R$ 44,40 para se cadastrar como doceira. Com essa contribuição, você terá acesso a benefícios como auxílio-maternidade, auxílio-doença, aposentadoria, entre outros.

Em caso de dúvidas, entre em contato com o Sebrae/RJ no telefone 0800 570 0800.

Cezar Vasquez é superintendente do Sebrae-RJ. Amanhã, Sucesso nas Compras

Últimas de _legado_Economia