Sucesso nas Finanças: Reeducação financeira ajuda na crise

É possível economizar em tempos de crise, fazendo uma verdadeira operação de guerra contra todos os desperdícios

Por O Dia

Rio - Poupança ou empréstimos para cobrir as dívidas? Essa é uma pergunta bastante comum. Hoje, na atual economia brasileira, não temos vantagens em pagar dívidas com outra divida. A busca pelo melhor deve fazer parte de um planejamento que demanda tempo e organização.

É possível economizar em tempos de crise, fazendo uma verdadeira operação de guerra contra todos os desperdícios. Privar-se de algumas coisas, mesmo que seja momentaneamente, para no futuro, investir melhor. Buscar alternativas de lazer a custos menores, passeios em locais públicos, muitas vezes disponíveis, principalmente aqui no Rio. Fazer desse gesto, um planejamento dentro da sua realidade de vida, e não algo distante, que não caberia no orçamento.


PERGUNTA E RESPOSTA

Estou a ponto de zerar minha poupança para quitar algumas dívidas. Se eu zerar a conta, corro o risco de perdê-la? Um empréstimo nesse caso é a melhor opção para quitar dívidas?Carla Souza, Irajá

Carla, se você retirar todo o dinheiro de sua poupança, irá ficar sem nada. Dependendo da política do banco, ela poderá ser fechada sim. O que não significa que será difícil para abrir outra. Vários bancos estão sempre fazendo campanhas para clientes abrirem novas contas de poupança. A preocupação deve ser por não ter mais economias e não pelo fato de fechar a conta.

No que diz respeito a pegar empréstimos para quitar dívidas, deve ser bem pensado, se for para não ter mais dívidas, vale a pena. Deve-se procurar um empréstimo mais barato. Se for possível um empréstimo “consignado”, optar por aquele em que os juros são mais baixos. Caso contrário, não vale a pena.

O que deve existir então é um planejamento financeiro. Estabelecer metas para poupar dinheiro e diminuir os gastos para que tudo comece a melhorar. Muitas vezes somente organizar tudo já resolve bastante coisa. O momento não está propício para gastos sem planejamento, e a poupança não é a melhor alternativa para guardar dinheiro. A educação financeira deve ser o foco de seu objetivo neste momento.

Se tem dívidas que serão quitadas se você usar o dinheiro, faça sim. É melhor começar um planejamento sem dívidas, e criar metas para um crescimento gradativo, sempre pensando em sua realidade. Nunca ultrapasse o que você pode fazer. Reorganize suas contas e busque alternativas de economia. Se conseguir quitar os parcelamentos não faça nenhum outro neste momento. Prefira os pagamentos à vista, peça desconto e isso tudo irá mudando aos poucos.

Mas volto a dizer, só faça um empréstimo se for te livrar de vez de suas dívidas. Vale ressaltar que uma dívida some e aparece outra. O pagamento do empréstimo que deverá fazer parte da sua atual organização financeira. Bons Negócios.


Últimas de _legado_Economia