Coluna do Aposentado: Fórmula 85/95 fica ainda mais vantajosa

No começo de dezembro, o IBGE anuncia a nova taxa de expectativa de vida da população e o indicador influencia diretamente o fator no cálculo dos benefícios do INSS

Por O Dia

Rio - A atualização do fator previdenciário que ocorrerá no fim deste mês vai deixar a Fórmula 85/95 Progressiva mais vantajosa para trabalhadores que cumprirem regras de concessão da aposentadoria por tempo de contribuição. No começo de dezembro, o IBGE anuncia a nova taxa de expectativa de vida da população (relativa a 2014) e o indicador influencia diretamente o fator no cálculo dos benefícios do INSS.

Segundo Newton Conde, atuário especializado em Previdência, diretor da Conde Consultoria e professor do Departamento de Economia da USP, o aumento médio da sobrevida do brasileiro deve ser de 58 dias. Com esse resultado, a diferença entre o valor da aposentadoria calculado pelo fator a partir de dezembro e pela Fórmula 85/95, que soma tempo de contribuição e idade dos trabalhadores, chegará a 20%.

Numa simulação feita por Conde, a pedido da coluna, um trabalhador, por exemplo, com 56 anos de idade e 40 anos de contribuição com salário de R$ 3 mil terá um ganho de 20,17% ao optar por se aposentar pela Fórmula 85/95 e não pelo fator previdenciário de dezembro. Segundo os cálculos de Newton Conde, conforme as novas regras, este segurado atingiu 96 pontos e receberá benefício integral (R$ 3 mil). Se esperasse virar o mês e escolhesse pedir o benefício considerando o fator já atualizado, ele receberia R$2.496,27 por mês.

CÁLCULO DO VALOR

Conforme as contas feitas pelo atuário, o valor da aposentadoria deste segurado antes da atualização da tábua de vida que será feita pelo IBGE seria de R$ 2.515,89. O valor representa uma redução de 0,78% em relação ao benefício concedido pelo novo fator previdenciário. “O aposentado sairá ganhando com a Fórmula 85/95”, diz.

FATOR MAIS FAVORÁVEL

O levantamento feito por Newton Conde mostra, no entanto, que há situações em que o fator previdenciário pode ser mais favorável do que a Fórmula 85/95. Neste caso, o segurado precisa ter trabalhado por muito mais tempo. A simulação revela que quem contribui por 45 anos, por exemplo, e tem hoje 63 anos de idade, sairia ganhando com o fator.

COMPARAÇÃO

Este exemplo revela que o segurado começou a trabalhar com 16 anos e hoje teria 108 pontos (soma de 63 anos de idade e 45 de contribuição). Pela Fórmula 85/95, receberia aposentadoria integral de R$ 3 mil. Se escolhesse fazer os cálculos pelo fator até o fim deste mês, o benefício ficaria em R$ 3.778,29 por mês.

REDUÇÃO DE 1%

Na hipótese do pedido de concessão ser feito ao INSS em dezembro, este mesmo segurado teria um benefício pelo fator de R$ 3.740,43 por mês. Ou seja, uma redução de 1% em relação à aposentadoria que seria liberada em novembro, antes da atualização da expectativa de vida da população do país.

PARÂMETRO USADO

As Tábuas de Mortalidade do IBGE são usadas pelo Ministério da Previdência Social como parâmetro para determinar o fator previdenciário no cálculo dos valores dos benefícios. No ano passado, as aposentadorias pedidas a partir de dezembro tiveram redução média de 0,65% em comparação a novembro.

MAIS DIAS DE TRABALHO

Na tábua do fator em vigor, segundo o INSS, ao considerar um segurado com 55 anos de idade e 35 de pagamentos, ele passou a ter que recolher por mais 79 dias corridos para manter o mesmo valor de benefício de novembro de 2014. Segurado com 60 anos de idade e 35 de contribuição teve que trabalhar por mais 94 dias para não ter perdas.

Últimas de _legado_Economia