Concurso para agências reguladoras é disputado. Salários chegam a R$ 5.957

Especialistas dão dicas para candidatos se prepararem para conquistar uma das 136 vagas de Nível Médio

Por O Dia

Rio - Com a publicação dos editais para os concursos da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) na última semana, especialistas se reúnem e dão dicas para quem pretende concorrer a uma das 136 oportunidades. Salários são de até R$ 5.957,52 para Nível Médio.

Luana recebe orientações de Fernando Bentes para os examesDivulgação

Rodrigo Lelis, professor do Universo do Concurso, diz que é fundamental que o candidato esteja com o conteúdo na ponta do lápis à época da publicação do edital, pois entre o período de inscrições até a aplicação das provas são apenas dois meses. “Quem aguarda o edital para começar os estudos acaba sendo prejudicado”, comenta.

Lelis diz que, devido ao alto salário oferecido para Nível Médio, o certame pode ter um número elevado de inscritos. “O que aumenta a concorrência”, esclarece.

O professor ressalta a importância do candidato estar familiarizado ao método de prova das organizadoras. A Funcab será a responsável pelo certame da ANS e a Cesgranrio da ANP.

Quanto ao edital da ANP, Lelis pede atenção especial ao item sobre informática, que apresentou conteúdo programático descrito de forma genérica. Da mesma forma, o conteúdo de língua inglesa.

Fernando Bentes, diretor do site Qconcursos.com diz que uma boa leitura do conteúdo cobrado nas provas anteriores é essencial. As questões objetivas de noções básicas são poucas e de conhecimento comum entre os concorrentes. Portanto, Bentes ressalta que as questões objetivas de noções específicas serão decisivas para a aprovação. Estas valem 60 pontos e a redação, eliminatória, vale 100 pontos. 

Luana Junqueira, 21 anos é estudante e pretende concorrer a uma das vaga na ANS. A estudante acredita que este é um ótimo concurso para quem pretende uma oportunidade na carreira pública. “A remuneração é muito boa para quem tem apenas o Nível Médio de ensino”, comenta.

Luana se sente confiante e conta que vem estudando desde a autorização do certame pelo Ministério do Planejamento. “Estudo diariamente pelo site Qconcursos.com e resolvo bastante questões de provas anteriores, isso me ajuda e muito”, explica Luana.

Claudia Jones: “O ideal é fazer simulados ao menos uma vez na semana”

Dois concursos que valem a pena e já estão com editais publicados são os do Ministério das Relações Exteriores (MRE), para o cargo de Oficial de Chancelaria, e o da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que contempla os cargos de Técnico em Regulação de Saúde Suplementar e Técnico Administrativo, ambos de Nível Médio.

Quanto ao concurso do MRE, o cargo exige Nível Superior em qualquer área e oferece remuneração de R$ 7.292,02. Porém, a lotação será para Brasília. E quem tem curso de tecnólogo, com diploma reconhecido pelo MEC, também poderá participar da seleção. 

O curso de tecnólogo é uma modalidade de graduação de Nível Superior e possui duração mais rápida, de dois a três anos, e oferece um diploma de graduação como qualquer outro curso de bacharelado.

O concurso será realizado pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e as inscrições começam hoje e vão até o dia 16 de dezembro. A taxa de inscrição é de R$ 120.

Já para a ANS, a seleção é para o provimento de 102 vagas mais cadastro reserva. As remunerações estão excelentes. O certame será organizado pela Funcab. Mas como não tem um perfil definido, recomendo o estudo por meio de questões anteriores da banca, e também da Cesgranrio e FGV. O concurso de 2013, para a instituição, também foi realizado pela Funcab.

Para a ANS, a parte discursiva será uma redação em formato de dissertação. Porém muita atenção, pois o candidato terá apenas 4 horas para fazer toda a prova, assim, será preciso uma estratégia para terminar a parte objetiva em até três horas e deixar 1 hora para a discursiva. O ideal é que o candidato simule a prova, ao menos uma vez por semana nesta reta final para se adequar ao tempo.

A Prova Discursiva deverá ser desenvolvida em no mínimo 20 linhas e no máximo 25. Não esqueça que, além de passar o rascunho da discursiva para a folha da prova, o candidato ainda terá de deixar tempo para a marcação do Cartão- resposta e esse, é um momento crucial que merece total atenção, pois um item marcado errado pode comprometer todo o restante.

Essa é a hora de intensificar os estudos. Quanto mais questões fizer neste momento, melhor será seu desempenho na hora da prova.

Claudia Jones é jornalista do site Qconcursos.com

Últimas de _legado_Economia