Piso com menos faixas é consenso entre trabalhadores e empresários

Empregos querem baixar para cinco e patrões para seis os oito patamares do salário regional

Por O Dia

Rio - Representantes de trabalhadores e empresários concordam em reduzir o número de faixas do piso regional a partir do ano que vem. Atualmente, o salário do estado é composto por oito patamares que variam de R$ 953,47 a R$2.432,72. Mas falta definir quantas faixas o piso passaria a ter. Os empregados defendem cinco e os patrões querem seis. Os pontos de vistas foram defendidos nesta segunda-feira durante audiência pública na Comissão de Trabalho da Assembleia Legislativa (Alerj).

Na ocasião, a bancada dos trabalhadores apresentou a proposta de correção para 2016, conforme O DIA antecipou no sábado com exclusividade. A reivindicação consiste em reajustar o piso considerando o aumento do salário mínimo nacional acrescido de 4,5%. A proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2016 enviada pelo governo federal ao Congresso em agosto prevê correção de 9,8% em 2016, o que resultaria nos 14,3%.

“Vamos oficializar a proposta no Conselho Estadual de Trabalho e Renda”, disse Indalécio Wanderley, representante da CUT no Conselho. Presidente da Comissão de Trabalho, deputado Paulo Ramos (Psol) destacou a necessidade de empregadores e empregados chegarem a um consenso para evitar que as discussões não terminem em 2015, como já ocorreu nos últimos dois anos. Aprovada pelo conselho e o plenário da Alerj e sancionada pelo governo, a correção do piso deve passar a valer a partir de 1º de janeiro.

“As negociações não podem se estender tanto. É preciso que a proposta chegue até 10 de dezembro para que a Assembleia possa aprová-la este ano. Deixar para o próximo exercício provoca perdas para os trabalhadores”, argumentou Ramos, ressaltando que tanto empresários, trabalhadores e representantes do governo estadual presentes à audiência, concordaram com a preocupação. 

Últimas de _legado_Economia