Por bferreira

Rio - O WhatsApp ficou fora do ar por um pouco mais de 12 horas, mas foi o suficiente para provocar comoção geral entre os usuários. O bloqueio também prejudicou os negócios de empresários que usam o aplicativo como ferramenta de trabalho, gerando perda de vendas. O desembargador Xavier de Souza, da 11ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), determinou ontem o restabelecimento do aplicativo no país. Também houve reflexo em países vizinhos, principalmente Argentina e Chile.

As amigas Rejane Santos%2C Pâmella Ayres e Tatiana Oliveira comemoraram muito a volta do aplicativoMárcio Mercante / Agência O Dia

O bloqueio, que afetou os usuários entre meia noite de quinta-feira e o começo da tarde de ontem, foi imposto porque o WhatsApp não atendeu a uma determinação judicial de 23 de julho. Em 7 de agosto, a empresa foi novamente notificada e houve fixação de multa em caso de não cumprimento. Como, ainda assim, a companhia não atendeu à determinação, o Ministério Público requereu o bloqueio dos serviços por 48 horas, com base na lei do Marco Civil da Internet.

As operadoras de telefonia informaram, representadas pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), que lamentaram o transtorno gerado aos usuários. “Reafirmamos nosso compromisso com as leis brasileiras e lamentamos profundamente o transtorno gerado pela medida aos nossos clientes, causada por problemas alheios à conduta das prestadoras, que sempre foi no sentido de cumprir a legislação e a regulação brasileira”, diz comunicado da entidade.

A auxiliar administrativa Tatiana Oliveira, 36, comemorou a volta do aplicativo com empolgação com as amigas Rejane e Pâmella. “Faço parte de vários grupos, até mesmo de mães da escola da minha filha. É uma forma de facilitar e resolver problemas, além de estar mais presente”, disse.

“Perdi R$ 1 mil em vendas ontem”

O empresário Douglas Monteiro, dono do site de vendas de acessórios para a câmera GoPro (www.tpgpro.com.br), deixou de ganhar R$ 1 mil em vendas com o bloqueio do WhatsApp ontem.
“Venda perdida não se recupera, não adianta reclamar agora. Mas me atrapalhou muito. Além de comercializar pelo aplicativo, eu troco informações e falo com os fornecedores também. Achei muito injusta essa decisão”, desabafou.

O mesmo aconteceu com Julia Manhaes, dona do Ateliê Valentinas. Ela conta que 80% das vendas são feitas por meio do aplicativo.

“Prejudicou muito. Perdemos vendas importantes, ainda mais nessa época do ano. Sorte que não durou muito tempo. Porque não sei como iríamos fazer para contornar essas perdas a longo prazo”, explicou Julia.

Você pode gostar