Por felipe.martins

Rio - Operadoras de telefonia móvel estão na mira de Procons de diversas regiões do país. Os órgãos vão investigar a realização de publicidade enganosa. Um dos alvos da ação é o estímulo de contratação por parte do consumidor das chamadas “promoções” que não esclarecem, de forma adequada, quais os direitos e deveres, o que pode induzir o consumidor ao erro.

O Procon Carioca também vai integrar a investigação. A presidente do órgão, Solange Amaral, defendeu ser arbitrário e inaceitável a maneira como as operadoras de telefonia celular tratam os clientes no Município do Rio e em todo o Brasil: “Estamos sempre atentos às infrações e na busca de defender os direitos do consumidor. As operadoras têm o dever de prestar esclarecimentos o quanto antes a fim de evitar maiores danos aos seus clientes”.

De acordo com a Associação Brasileira de Procons, as prestadoras de serviço vêm sistematicamente desrespeitando os direitos dos consumidores, que pagam caro por um serviço que não tem a qualidade prometida. Outro problema citado pela associação é a falta de transparência na venda de pacotes e promoções, assim como o acompanhamento do uso do pacote de dados. Segundo o Procon Carioca, as empresas estão sujeitas à sanção de multa, que varia de R$ 555,60 a R$ 8.333.144,69. Após notificações, as empresas têm 10 dias para apresentar defesa.

Você pode gostar