Por bferreira
Brasília - Os saques da poupança superaram os depósitos em R$53,567 bilhões em 2015. Segundo o Banco Central (BC), foi a maior retirada líquida da série histórica da instituição, iniciada em 1995. O BC não registrava saques líquidos anuais desde 2005 (R$ 2,720 bilhões). Em 2013 e 2014, respectivamente, R$ 71 bilhões e R$ 24 bilhões haviam entrado na modalidade de aplicação.
O aumento da inflação e do desemprego, além da queda do poder de compra da população são alguns dos fatores apontados para a retirada de recursos da poupança. Além disso, a poupança rende menos que fundos de renda fixa.
Publicidade
Em 2015, os brasileiros voltaram a aplicar dinheiro na poupança em dezembro, após 11 meses seguidos de resgate líquido (descontados os depósitos). No último mês do ano, a captação líquida (depósitos superiores aos saques) ficou em R$ 4,789 bilhões. Apesar do resultado positivo, essa foi a menor captação líquida registrada em dezembro desde 2011 (R$ 3,589 bilhões).
Os depósitos somaram R$1,906 trilhão e os saques, R$ 1,959 trilhão ano passado. Já os rendimentos creditados nas contas dos poupadores somaram R$ 47,43 bilhões em 2015.