Governo confirma aumento da Faixa 1 para novos contratos do 'Minha Casa'

Prestação mínima do programa vai subir de R$ 25 para R$ 80

Por O Dia

Rio - A prestação mínima do Minha Casa, Minha Vida vai subir de R$ 25 para R$ 80 e será cobrada para as novas moradias do programa habitacional, que começam a ser contratadas neste ano.

A mudança se refere às famílias pertencentes à Faixa 1 da terceira etapa do programa habitacional, com renda mensal de até R$ 1,8 mil.

Para as pessoas que recebem salário mensal de no máximo R$ 800, a prestação será de R$ 80. De acordo com o Ministério das Cidades, para aqueles que têm renda mensal entre R$ 800 e R$ 1,2 mil, o valor corresponderá a 10% do salário. As famílias cujo salário médio varia entre R$ 1,2 mil e R$ 1,8 mil pagarão mensalmente o valor que corresponde a 15% do salário.

A prestação mínima paga anteriormente pelos beneficiários do programa era de R$ 25 por mês. Antes das mudanças, em toda a Faixa 1, cerca de 95% do imóvel era subsidiado pelo governo.

Na quarta-feira a presidenta da Caixa Econômica Federal, Miriam Belchior, justificou o aumento explicando que a prestação para as famílias da faixa de renda mais baixa atendidas pelo Minha Casa, Minha Vida não tinha reajuste desde o lançamento do programa, em 2009, enquanto a renda dos beneficiários e o valor dos imóveis subiram no período.

“O salário mínimo subiu, a renda subiu, o valor dos imóveis também. Então, esse aumento da prestação está em linha com o crescimento da renda das pessoas e dos imóveis. Ou seja, o subsídio continua o mesmo”, disse a presidente da Caixa.

Últimas de _legado_Economia