Por felipe.martins

Rio -  Para não ter erro na hora da declaração do Imposto de Renda (IR) de 2016, a Receita Federal oferece um programa rascunho — que permite o preenchimento gradual dos recibos ao longo do ano. A procura pelo aplicativo quase triplicou em 2016 em relação ao ano passado. Segundo a Receita Federal, 174,8 mil contribuintes baixaram a ferramenta desde que o recurso foi lançado, há seis meses.

O rascunho para a declaração está disponível desde o fim de julho de 2015, mas o contribuinte pode usar a ferramenta até 28 de fevereiro. A partir de 1º de março, quando começa o prazo de entrega da declaração de 2016, o aplicativo não poderá ser mais preenchido. O contribuinte deverá apenas transferir os dados para o programa da declaração. O período de envio termina em 29 de abril.

Aplicativo está disponível no site da Receita até o dia 28 de fevereiro Ernesto Carriço / Agência O Dia

Usado pela primeira vez em 2014, o rascunho facilita a vida do contribuinte, que não precisa guardar documentos durante o ano inteiro. Ele pode inserir dados somente no período de entrega da declaração.
Houve um salto de acesso de 153% em relação aos 69 mil contribuintes que usaram o rascunho do Imposto de Renda em 2015. No entanto, representa apenas 0,6% dos cerca de 28 milhões de declarações esperadas para este ano. A ferramenta está disponível na página da Receita na internet e nos aplicativos do órgão para tablets e smartphones.

COMO USAR A FERRAMENTA

O usuário deve acessar o site do aplicativo www.receita.fazenda.gov.br/Aplicacoes/ATSDR/IRPFRascunho/index.asp, clicar em “fazer rascunho”. Na próxima tela, digitar o CPF e código de segurança. Clicar em “avançar” e, depois, “iniciar rascunho”.
Na página que segue, já é possível começar a usar a ferramenta. Cada despesa tem uma categoria no site, por exemplo, se o usuário quer adicionar gastos com médicos, é só clicar em “pagamentos” e identificar como categoria saúde.

Na prática, o rascunho funciona como um gerenciador fiscal, que permite o preenchimento gradual das informações, poupando tempo na hora de entregar a declaração do Imposto de Renda, em março e abril de cada ano.

Para o contador e especialista em Imposto de Renda Eurivaldo Rodrigues, do escritório Prado, organizar ao longo do ano as notas pagas pode salvar o contribuinte da malha fina. “É mais fácil lembrar de preencher tudo certo quando se faz aos poucos, com um aplicativo da própria Receita fica ainda mais prático”, recomenda.

Você pode gostar