Por thiago.antunes

Rio - O reitor da Universidade Gama Filho, Cármine Antônio Savino Filho, ameaçou jubilar os estudantes do curso de medicina que estão há 50 dias acampados na faculdade, caso eles não desocupem nesta terça-feira, de forma pacífica, a reitoria.

Os estudantes pedem por um ensino de qualidade e a apresentação de um relatório financeiro da instituição dos anos 2012 e 2013, além da garantia da ampliação de segurança no campus e a confirmação da manutenção dos convênios para cenários práticos.

Além da ameaça de expulsão, a reitoria proibiu a permanência dos seguranças do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) disponibilizada aos alunos.

Segundo o presidente do Centro Acadêmico de Medicina, Edwaldo Guimarães, a decisão é a pior solução. "Se isso realmente acontecer, está tudo acabado para nós. Não poderemos continuar no curso, nem sermos transferidos para outras faculdades. Teríamos que prestar vestibular novamente e começar do zero", lamenta.

O Cremerj alega que continuará atuando em defesa dos alunos para que a ameaça não seja consumada.

Você pode gostar