Por thiago.antunes

Rio - Estudantes que concluíram o Ensino Médio e fizeram a prova do Enem no ano passado, sem ter tirado zero na redação, têm a oportunidade de ingressar no Ensino Técnico e garantir o futuro profissional. Foram abertas nesta segunda as inscrições para 289.341 vagas em todo o país — 13.380 no Estado do Rio — em cursos gratuitos pelo Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec).

No primeiro dia de cadastramento gratuito pela internet, o sistema havia recebido 99.171 inscrições — cada candidato pode fazer até duas opções de curso. As mulheres são maioria, com mais da metade das inscrições (57.693 do total). Os cursos mais procurados foram os de técnico em segurança do trabalho, em logística, em enfermagem, em informática e em radiologia.

Bahia, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Minas Gerais são os cinco estados com a maior participação no sistema que é aberto duas vezes por ano para selecionar alunos para instituições públicas, particulares e para os serviços nacionais de aprendizagem (Sesc, Senai), distribuídos em 466 municípios brasileiros. O Estado do Rio ficou em sexto lugar no ranking de candidatos. Estudantes fluminenses fizeram 7.198 inscrições.

As notas das provas do Enem serão o critério de classificação para as vagas dos cursos profissionalizantesAgência Brasil

Não há cobrança de taxas.Áreas com maior oferta de vagas são ambiente, saúde, comunicação, gestão. Há cursos de guia de turismo, técnicos em estética, em petróleo e gás, programação de jogos digitais entre outros.

A partir desta terça, os candidatos poderão conferir a nota de corte (menor pontuação no Enem para ficar entre os potencialmente selecionados) para cada curso com base no número de vagas disponíveis e no total dos candidatos inscritos em determinado curso. Quanto maior a procura, maior a nota para garantir a vaga. Ele terá a oportunidade de trocar de curso até sexta-feira, se perceber que terá mais chances em outro de acordo com sua pontuação. Será considerada válida a última inscrição.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o sistema, criado em 2013, como parte do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), registrou, até julho, 7,6 milhões de matrículas no país.

Você pode gostar