Por thiago.antunes
Publicado 05/11/2014 00:33 | Atualizado 05/11/2014 01:49

Rio - O exame nacional que serve de passaporte para o Ensino Superior também pode ser a chave para abrir as portas do concorrido mercado de trabalho, a partir do diploma do Ensino Médio conferido aos inscritos no Enem que não concluíram o curso na idade ideal e tiverem bom desempenho.

De acordo com balanço realizado pelo Ministério da Educação (MEC), dos 8,7 milhões de inscritos no Enem deste ano, quase 1 milhão (997.131) farão a prova, no próximo fim de semana, para garantir o certificado do antigo 2º grau.

Para obter o documento, os candidatos precisam tirar no mínimo 450 pontos em cada uma das áreas de conhecimento e 500 pontos na redação. A certificação de conclusão de curso será concedida somente aos maiores de 18 anos que tenham informado essa opção no ato da inscrição. O levantamento revelou que a procura vem aumentando. No ano passado, o pedido foi feito por 784.830 estudantes.

Provas serão realizadas no próximo fim de semana%2C em todo o Brasil%2C para 8%2C7 milhões de inscritosAlessandro Costa / Agência O Dia

As provas serão aplicadas neste sábado e no domingo, às 13h, em 1.669 municípios. A pontuação será usada nas seleções para mais de 100 universidades e centros técnicos federais espalhados pelo país. As notas do Enem servirão de base para distribuição de bolsas integrais ou parciais de 50% do valor da mensalidade no Programa Universidade para Todos (ProUni) e do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), que financiam estudantes da graduação e pós-graduação em instituições privadas. São duas seleções por ano. Em 2015, passará a valer a nota do Enem do ano anterior.

Outra oportunidade para estudantes que ingressarem em universidades pela nota do Enem é o programa Ciência sem Fronteiras, dos ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia e Inovação, que oferece bolsas de estudos de graduação-sanduíche (de curta duração) em instituições estrangeiras. Neste caso, podem entrar na disputa alunos que cursarem a graduação em instituições públicas e privadas e da educação profissional.

O Enem é o principal acesso às universidades, por meio do Sistema de Seleção Unificada, o Sisu, e o Sisutec, voltado para a área tecnológica. As inscrições abrem em janeiro. No segundo semestre haverá uma nova chance.

Cinco vezes mais interessados que há cinco anos

A quantidade de estudantes de olho no diploma de Ensino Médio é cinco vezes maior do que, há cinco anos, quando o Enem passou a acumular essa função. Na época, o número de candidatos interessados no certificado era de apenas 197.991.

A certificação não é imediata. Além de garantir a pontuação mínima, os participantes devem procurar diretamente as secretarias estaduais de Educação e os institutos federais de Educação, Ciência e Tecnologia, que oferecem o serviço.

O MEC orienta os participantes a procurar a instituição informada na inscrição do Enem e apresentar o boletim com as notas do exame. A entrega do documento é gratuita. Não é necessário levar o histórico de conclusão do Ensino Fundamental.

O estudante poderá ainda pedir a declaração parcial de proficiência, caso ele tenha conseguido obter a nota mínima em apenas uma ou mais provas. Nesse caso, a declaração funcionará nos moldes do antigo supletivo. Ele deverá retornar no próximo Enem para conseguir a nota nas provas que faltam para obter o diploma.

O MEC alerta para a retirada do cartão de confirmação de inscrição do Enem, com dados pessoais e locais de prova, retirada por 4 milhões de estudantes. A consulta está disponível aos participantes da prova no portal www.inep.gov.br/enem.

Você pode gostar