Mulheres e negros são maioria no Enem

Número de inscrições cresceu 21,6%, com mais 1,2 milhão de candidatos. Em 1988, foram 200 mil

Por O Dia

Rio - O sonho de bater às portas das universidades, e passar pelo estreito funil do mundo acadêmico, é maior entre estudantes negros, mulheres e alunos carentes que farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), neste fim de semana. Eles somam 5 milhões dos 8,7 milhões de candidatos que estão na disputa por uma vaga no Ensino Superior, como mostra o perfil socioeconômico divulgado pelo Ministério da Educação (MEC).

O levantamento, elaborado a partir de um questionário respondido pelos candidatos durante a inscrição, revela que as jovens representam mais da metade (58,11%) dos inscritos no provão nacional, confirmando a tendência de maior escolaridade entre as mulheres observada na última década. Do total, somente 3,6 milhões são do sexo oposto.

Clique na imagem para ampliar o infográficoArte%3A O Dia

Os participantes que se declararam negros também são maioria: 5 milhões. Na sequência, vêm estudantes que se inscreveram como sendo brancos ( 3,2 milhões), amarelos (187,9 mil) e indígenas (54.780).
O balanço revelou ainda que entre os estudantes com menor renda familiar, 4,98 milhões foram isentos da taxa de inscrição por terem comprovado carência; e 1,42 milhão não pagou por estudar em escolas públicas.

A maior participação no exame ocorreu na Região Sudeste, com 35,2%, e no Nordeste, com outros 32,9%. Este ano, o MEC registrou aumento de 21,6% nas inscrições — mais 1,2 milhão de candidatos. Desde a primeira edição, a procura só cresce. Em 1998, apenas 200 mil estudantes fizeram a prova. Em 2013, foram 7,1 milhão de pessoas.

O acesso à graduação e aos programas de bolsas é democrático. Candidatos de todas as idades recorrem ao Enem. Embora mais da metade tenha menos de 20 anos, o perfil apontou 1,3 milhão de inscritos acima dos 30 anos. Entre os mais novos, há quase 500 mil que têm menos de 16 anos e farão o Enem como teste.

Dicas para relaxar para a maratona

Depois de um longo ano de preparação, os estudantes devem tomar alguns cuidados na véspera da avaliação. Especialistas dão dicas para ter bom rendimento na maratona de questões do Enem. Uma delas é evitar responder simulados ou listas de exercícios. “Não adianta tentar recuperar o tempo perdido, isso vai causar desespero. Para se sair bem, ter calma é primordial”, revela a psicóloga Sanami Esaky.

O estado emocional interfere no desempenho. Por isso, a sexta-feira é para relaxar e manter a mente descansada. “Na véspera, o aluno não deve estudar. Ele pode assistir um filme que seja tranquilo, passar um tempo com as pessoas de quem gosta de estar, fazer atividades que dão prazer, mas claro, sem exagerar na diversão”, aconselha.

Cuidados finais

- Veja o noticiário
Não é hora de aprender novos conteúdos nem se desgastar em grande revisões. Mantenha-se atualizado com leituras diárias de notícias, que poderão ser úteis na redação.

- Faça refeição leve

Alimente-se bem, mas priorize refeições leves e saudáveis. Além de favorecer a preparação, evita que tenha qualquer distúrbio digestivo às vésperas das provas.

- Vá ao local antes

Conheça antecipadamente o local onde fará o exame.

- Separe o material

Confira o que deve ser levado no dia das provas: documento de identificação com foto, cartão de confirmação de inscrição e caneta preta transparente.

- Durma oito horas

Durma cedo, tome um bom café da manhã e saia a tempo de fazer o trajeto com calma.