Por tabata.uchoa

Rio - Bater às portas das universidades é um sonho cada vez mais possível para estudantes brasileiros. No caminho até o Ensino Superior, jovens talentos de vários cantos do país estão aliando o esforço pessoal a iniciativas de universidades particulares e políticas públicas. A meta é garantir que, por meio de pré-vestibular social, bolsas de estudo e assistência estudantil, eles consigam conquistar uma vaga e se manter na graduação até a formatura.

As ações já fazem parte da rotina acadêmica de instituições como Fundação Getúlio Vargas, PUC e Ibmec. Na FGV, além de não pagar a mensalidade do curso, os estudantes que comprovarem carência financeira recebem ajuda de custo para arcar com alimentação, transporte, livros e até roupa. “Nós damos o enxoval completo. Não adianta eles entrarem e não terem condição de permanecer no curso”, afirma Antonio Freitas, pró-reitor da FGV.

Ian (E)%2C Yanne%2C Pedro e Maximiliano estudam na PUC com bolsa integral concedida aos melhoresDivulgação

Este ano o Ibmec vai oferecer 84 bolsas para os primeiros colocados no vestibular, cujas inscrições abrem na sexta-feira. O aluno tem a vantagem de poder acumular diversas modalidades de bolsas, que são concedidas de acordo com o mérito acadêmico. A instituição oferece bolsas integral ou parcial no valor da mensalidade e outras de monitoria e de iniciação científica.

“O programa de bolsas nos permite trazer alunos com alto rendimento acadêmico, que talvez não tivessem fôlego financeiro para estar no Ibmec”, diz Eduardo Halpern, coordenador-geral da graduação. Segundo ele, para manter o benefício o aluno deve obter boas notas durante todo o curso.

Outra oportunidade de ingressar na universidade é através da prova ‘Desafios 2015’, realizada, há oito anos, pela PUC. A instituição procura estudantes vindos do Ensino Médio que sejam competitivos, estudiosos e dispostos a se destacar em três cursos: Física, Química e Matemática.

Para os estudantes de Química Yanne Chagas, Ian Werner e Pedro Meireles, de Física, Maximiliano Faria, e de Matemática, Luize Vianna, selecionados nas últimas edições do exame, a dica para quem vai entar este ano é estudar questões que caíram nas Olimpíadas do Conhecimento, já que o ‘Desafio’ segue o mesmo padrão. “A prova é difícil, mas não precisa ser nenhum gênio. Nada que, com bastante estudo, o estudante não consiga alcançar”, diz Pedro.

Com ajuda do preparatório na Cidade de Deus%2C Carina estuda Odonto na Uerj%3B Cyro%2C Matemática na UFRJRogério Santana / Seelje

Cursinhos comunitários melhoram o desempenho

Para muitos jovens de escolas públicas, mais difícil do que escolher a profissão é encontrar meios financeiros para se preparar bem para o vestibular. É o caso de Raphael de Souza, de 18 anos. Estudante do 3º ano do Ensino Médio, ele não tinha pretensões de fazer um cursinho pré-vestibular, pois são caros — até descobrir o projeto Geração Careta, mantido pela Secretaria Estadual de Esporte e Lazer, no Complexo Caio Martins, em Niterói.

“Não existe fórmula, é estudar e se dedicar. Não é fácil, mas também não é impossível”, diz Raphael, que planeja cursar Arquitetura. Seu caminho já foi trilhado com sucesso por outros dois ex-alunos dos preparatórios comunitários. Moradores da Cidade de Deus, Cyro Renato, de 18 anos, e Carina Pires, de 19 anos, fizeram o curso pré-vestibular comunitário no Centro de Referência da Juventude (CRJ) na comunidade. Com o reforço, Carina conquistou uma vaga no curso de Odontologia na Uerj, e Cyro passou para Matemática na UFRJ.

COMO ENTRAR

POLOS REGIONAIS
O pré-vestibular social mantido pela Secretaria de Ciência e Tecnologia e pela Fundação Cecierj abre em torno de 20 mil vagas por ano, nos 56 polos de mais de 30 municípios. As aulas vão de março a dezembro, e as inscrições são pelo site www.pvs.cederj.edu.br.

PRÉ-VESTIBULAR
O Complexo Caio Martins, administrado pela Suderj, em Niterói, oferece pré-vestibular comunitário através do projeto Geração Careta. As aulas são de segunda a sexta-feira, das 19h às 22h. Informações pelo telefone 2715-4465.

FGV
A Fundação Getúlio Vargas têm três tipos de bolsas: para os primeiros colocados no vestibular, para alunos superdotados e para estudantes de baixa renda. A FGV tem ainda opção de financiamento sem juros, que permite ao aluno iniciar o pagamento do valor só após a formatura.

DESAFIOS PUC-RIO
O Centro Técnico Científico da PUC-Rio está com inscrições abertas para a prova ‘Desafios 2015’ até dia 2 de outubro pelo site http://www.puc-rio.br/desafios/. Ganharão bolsa integral os dois melhores candidatos nos cursos de Física, Química e Matemática.

SEEDUC
Convênio entre a Secretaria de Educação e instituições como Ibmec concede bolsas para alunos da rede.

Você pode gostar