Justiça Federal proíbe Ampla de cortar energia da UFF

Concessionária suspendeu o serviço em sete unidades da instituição na quarta-feira (19)

Por O Dia

Rio - Depois de cortar o fornecimento de energia elétrica da Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói, na última quarta-feira (19), a Ampla terá de voltar atrás e oferecer o serviço à instituição. A Justiça Federal proibiu a concessionária de interromper o abastecimento das sete unidades da UFF, deferindo o pedido da Advocacia Geral da União (AGU), na sexta-feira. A universidade está há mais de um ano em débito com a empresa. 

Ampla corta energia da UFF por falta de pagamento

A AGU lembrou que a UFF é a maior universidade federal do país em número de alunos e pediu que a Ampla fique proibida de suspender a energia em qualquer unidade da instituição. A empresa cortou a luz de unidades como o Arquivo Central; o Cinema e o DataUFF. 

Há mais dois meses em greve, UFF sofreu corte de R%24 9%2C4 bilhões na verba da EducaçãoEstefan Radovicz / Agência O Dia

Na decisão, o juiz federal William dos Santos lembra que "é pública e notória a crise financeira em que se encontram as universidades federais no país, especialmente a UFF- Universidade Federal Fluminense, que, até o presente momento recebeu repasses de apenas R$ 42,5 milhões, o que representa menos de um terço do orçamento de 2015 que é de R$ 144,9 milhões. 

O magistrado destacou a "impossibilidade da paralisação dos serviços da universidade, que possui em seu quadro serviços como restaurante universitário, creches e hospital" e lembrou a possibilidade de a Ampla cobrar judicialmente a dívida indicada. "Qualquer que seja a solução, e é óbvio que a UFF não pode ficar sem pagar suas contas, menos ainda a empresa fazer caridade eterna com quem já lhe cobra tributos (e de forma voraz)", dizia um trecho da sentença. 

Procurada, a Ampla afirmou que cumprirá a determinação da Justiça. 

Últimas de _legado_Educação