Por paulo.gomes
Já foi-se o tempo em que cozinha era um lugar voltado somente à preparação dos alimentos. Hoje, a tendência “gourmet” transformou o ambiente em um verdadeiro espaço de convivência. A grande questão agora é fugir da tradicional decoração em branco. Quem gosta de ousar pode investir em cores chamativas, eletrodomésticos personalizados e até em novos revestimentos. Alguns cuidados, entretanto, precisam ser tomados. “Há muita variedade no mercado quando o assunto é decoração de cozinha. O importante é usar materiais impermeáveis, resistentes e fáceis de limpar”, diz Jéthero Cardoso de Miranda, professor de design do Instituto Belas Artes.
A cor azul é representativa e traz frescor à cozinha. Outro elemento em destaque é a pastilha coloridaDivulgação

Acertar na escolha das cores é fundamental para conseguir uma cozinha alegre e divertida. Tonalidades secundárias (como verde e laranja) oferecem mais possibilidades de combinações. Tons claros afetam a sensação de amplitude do espaço e deixam os ambientes maiores. Já cores mais fortes trazem a ideia inversa e, se forem aplicadas em grandes superfícies – como paredes ou armários –, acabam ficando cansativas. “Uma saída possível é usar tais cores em elementos removíveis (portas de armários, por exemplo), que permitem trocas sem a necessidade de modificação da base”, afirma Marcia Maru Iabutti, arquiteta.

A cor preta também pode ser usada na cozinha. Tal opção traz seriedade ao espaçoDivulgação

Outra maneira de alegrar a cozinha é investir em cores dominantes e preencher o resto do ambiente com tonalidades parecidas ou complementares. O efeito psicológico gerado pelas cores também deve ser investigado na hora de conseguir o equilíbrio decorativo. “Não aposte em certas tonalidades somente por moda ou gosto pessoal. Analise a questão psicológica e descubra que a cor amarela é quente e está relacionada à sociabilidade. Usá-la na cozinha é interessante, já que o local sempre recebe amigos e família”, diz Márcia. Já tons como o vermelho e laranja precisam ser usados com atenção, pois estimulam o apetite.

A estética cinza predomina, mas pontos coloridos são espalhados em portas de armários e itens decorativosDivulgação

O colorido na cozinha precisa também receber uma iluminação adequada para ser valorizado. O melhor é evitar o uso de lâmpadas fluorescentes – que não reproduzem fielmente as cores e são muito frias - em locais destinados ao preparo e consumo dos alimentos. O produto mais indicado para esta área da casa é a lâmpada halógena, que possui o índice de reprodução de cor (IRC) em 100%, ou seja, não afeta em nada as cores do ambiente.

As informações são de Bruna Bessi, do IG