Por paulo.gomes

Rio - Com as taxas de juros mais baixas e maior prazo para pagamento, que pode chegar a 35 anos, o sonho de comprar a casa própria está cada dia mais real. Prova de que o mercado ficou aquecido é, por exemplo, que só a imobiliária Fernandez Mera prevê comercializar, até dezembro, mais de cinco mil unidades em várias regiões do Estado do Rio. Com preços a partir de R$ 99.900, serão condomínios com infraestrutura completa de lazer e de segurança.

Fachada do mais novo empreendimento da construtora Life%2C no Recreio dos BandeirantesDivulgação

Entre as oportunidades estarão imóveis residenciais, comerciais, loteamentos, além de unidades hoteleiras, para quem pensa em investir em locais como Botafogo, Flamengo, Centro da Cidade, Barra da Tijuca, Recreio, Tijuca, Costa Verde (Itaguaí, Muriqui, Mangaratiba, Angra dos Reis), Jacarepaguá (Freguesia, Pechincha, Praça Seca, Taquara), Vila Valqueire, Cachambi, Méier, Campo Grande, Paciência, Santa Cruz, e Bangu, entre outros.

“Será um semestre muito promissor. Estimamos alcançar um valor geral de vendas superior a R$ 2,5 bilhões”, afirmou Samuel Schvaitzer, diretor de Relacionamento, Desenvolvimento e Novos Negócios da Fernandez Mera, em evento promovido para os corretores da empresa na última semana.

O encontro teve como objetivo anunciar os lançamentos e estreitar o relacionamento com a equipe de vendas e com as construtoras parceiras da empresa.

Crédito da Caixa supera R$ 66 bilhões

A Caixa Econômica Federal fechou o primeiro semestre com volume de R$ 66 bilhões em contratações de crédito imobiliário. O montante representa crescimento de quase 44% em relação ao mesmo período de 2012 (R$ 45,9 bilhões).

Nos primeiros seis meses de 2013, a instituição assinou mais de 711 mil contratos, o correspondente a aplicação média diária de R$537,2 milhões e 5.783 financiamentos por dia. No Rio foram 47.129 contratos, com a liberação de quase R$ 6 bilhões para compra da casa própria.

Segundo o diretor de Habitação da Caixa, Teotonio Rezende, a previsão é aplicar mais de R$ 130 bilhões para compra do imóvel até dezembro. A projeção anterior era de R$ 126 bilhões.

A forma do primeiro pagamento somente em janeiro, anunciada no Feirão Caixa, contribuiu para o bom desempenho.

Você pode gostar