Sistema de consórcio pode ser usado até para reformas dos imóveis

Modelo permite poupar com objetivo definido para a compra de unidades residenciais, comerciais e terrenos

Por O Dia

Uso de cotas na compra de moradias urbanas ainda é a mais procurada pelos consorciadosDivulgação

Rio - O sistema de consórcios ganha cada vez mais adeptos. O modelo não cobra juros, não tem saldo devedor e ainda permite fazer poupança a longo prazo, com o objetivo de comprar um como imóvel. A contemplação pode acontecer por sorteios ou por lances. Pesquisa recente da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac) mostra que ainda é mais comum usar cartas de crédito na aquisição de unidades urbanas (48,7%).

Comprar de terrenos também cresceu, ficando em segundo lugar, com 23,3%. As reformas são outro destaque no levantamento, na terceira posição com 18,2%. Outro dado revela que já há participantes que lança mão do consórcio para comprar imóveis de veraneio, na praia ou no campo. As unidades comerciais e industriais aparecem na pesquisa, com destaque para escritórios e galpões.

“Os consórcios têm baixo custo final de aquisição. A adesão significa poupança com objetivo definido para formação ou ampliação patrimonial pessoal, familiar ou empresarial. Para os trabalhadores há também a possibilidade de usar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, seja como lance e complemento da carta de crédito, seja para amortização e antecipação de parcelas”, explica Paulo Roberto Rossi, presidente-executivo da Abac.

Outra característica do sistema é que o cliente pode utilizar até 10% do valor do crédito para despesas com documentação, entre elas seguro, certidões e escritura.

Sistema estimula educação financeira

O consórcio não é apenas uma forma de adquirir bens, como também estimula a educação financeira e a administração equilibrada dos ganhos e gastos pessoais e familiares. Além de não cobrar juros e resultar em redução de custos nas prestações, o modelo oferece outras vantagens: o consorciado, quando obtiver a carta de crédito, consegue comprar o imóvel à vista, e negociar valores e descontos.

O trabalhador, com carteira assinada, por exemplo, tem a chance ainda de usar o FGTS para dar lances, para adquirir o bem mais rápido. Para resgatar o fundo é preciso estar enquadrado nas regras do Conselho Curador do FGTS. Entre elas não ter imóvel.

Segundo a Abac, de janeiro a novembro de 2013, o total de participantes no consórcio chegou a quase 694 mil participantes.

Últimas de _legado_Imóveis