Despesas extras de fim de ano pesam no bolso dos condomínios

Décimo terceiro é o gasto que mais pesa nesta época

Por O Dia

Rio - Com a chegada do fim do ano, os moradores de condomínios também têm que arcar com algumas despesas como o 13º salário dos empregados, a caixinha de Natal e até a decoração para a data. São gastos que, na maioria dos casos, já deveriam estar previstos pelos síndicos. Esta iniciativa afastaria a temida cota extra neste período.

Por isso, a recomendação é fazer a previsão orçamentária nos primeiros meses do ano. Com este planejamento, o abono salarial, que é uma das despesas que mais pesa nas contas dos edifícios, estaria sendo rateada em várias parcelas ao longo do ano.

Segundo o gerente de Negócios da Apsa, Valnei Ribeiro, a grande despesa de final de ano é o 13º. Mesmo sendo um gasto ordinário, muitos síndicos não se planejam e acabam recorrendo à cota extra.

“Orientamos sempre sobre o tema e ainda enfatizamos para não deixá-lo para última hora, evitando sustos e até a inadimplência”, explica.

Ribeiro lembra que nesta época é comum os síndicos darem alguns retoques nas áreas comuns dos prédios, mas nada que fique fora do orçamento. Entre as melhorias estão as pinturas e as decorações de Natal.

A tradicional caixinha natalina para os funcionários não é obrigatória e cada morador decide se quer doar. Isso porque os profissionais já recebem o abono salarial.

Ribeiro explica ainda que 70% dos gastos do condomínio são para pagar os funcionários. O restante é dividido em 20% para conta de água e 10% para a manutenção de elevadores, de bombas e de portões, além da conta de luz.

“É mais em conta para o síndico trabalhar com a prevenção do que trabalhar apagando incêndios. Se uma tubulação estoura, por exemplo, ele não vai ficar tão vulnerável financeiramente”, orienta o gerente.

Últimas de _legado_Imóveis