Por thiago.antunes

Rio - Durante 48 horas (dias 25 e 26), os eventos da Jornada Mundial da Juventude programados em Copacabana vão mexer muito com a vida dos moradores deste e de outros bairros. As opiniões já estão divididas: o que para uns será o céu, com a chegada do Papa Francisco, para outros fica muito longe disso, devido às restrições de locomoção além das aplicadas no Revéillon.

A circulação do metrô tem horário limitado. Até o meio-dia, tudo funcionará normalmente. A partir desse horário, só usará o transporte aquele que tiver o bilhete especial da Jornada, que a concessionária vende até a próxima quarta-feira. Para a pessoa que não adquirir o bilhete, entrar no metrô será tão difícil quanto um camelo passar pelo buraco de uma agulha.

As portas não se abrirão nem mesmo para uma mãe que precise levar o filho numa emergência hospitalar, como admitiu a assessoria de imprensa da empresa.

No clima de Copacabana%3A Papa já inspira artesãos que fazem arte na praiaAlessandro Costa / Agência O Dia

Depois das 19h, todas as estações, até mesmo em bairros distantes, serão fechadas até 5h do dia seguinte. As únicas que ficarão abertas, para o retorno dos fiéis, serão Siqueira Campos, Cardeal Arcoverde e Botafogo.

No fim da tarde, quando o Sumo Pontífice repousar os pés na Princesinha do Mar, todos os acessos ao bairro, de carro, por exemplo, já estarão fechados desde o meio-dia. Quem não puser ou retirar o automóvel na garagem até esse horário esqueça: ou ficará preso, ou o veículo dormirá na rua. Usar táxi e ônibus, só até 14h. A liberação do bairro será às 5h. Táxis cobram bandeira 2.

“Todas as vezes que tem evento a área fica degradada. A interdição nos prejudica. Minha mãe mora no Flamengo e trabalha em um posto de saúde em Copacabana. Terá que dormir na casa da minha avó. Acho que isso cerceia o direito de ir e vir. É um absurdo me pedirem comprovante de residência. O metrô também nos prejudicará, porque se eu quiser ir do Flamengo para Copa, não poderei”, criticou a universitária Andressa de Castro, 26 anos.

A presidente da Associação de Moradores de Copacabana, Myriam de Pinho Barbosa, que é contra eventos no bairro, dessa vez abriu exceção. “Afinal, trata-se do Papa, e sou católica”, amenizou.

Operários trabalham na montagem do palco que vai receber o Papa Francisco%2C na Praia de CopacabanaAlessandro Costa / Agência O Dia

Trens da SuperVia vão circular 24 horas seguidas

Além do metrô, barcas e trens também traçaram esquema especial nos dias 25 e 26, quando haverá os eventos em Copacabana. Os trens da SuperVia, como ocorreu no Carnaval, funcionarão 24 horas seguidas. Já as barcas vão navegar até as 4h. As linhas Charitas e Cocotá não vão operar.

O Papa Francisco chegará às 16h de segunda-feira ao Aeroporto do Galeão e, às 17h40, visitará a presidenta Dilma Rousseff no Palácio Guanabara. Na quarta-feira, 24, passará o dia em Aparecida (SP).

Dia 25 de manhã, Francisco rezará missa no Sumaré e receberá as chaves da cidade das mãos do prefeito Eduardo Paes. Às 11h visitará a comunidade da Varginha, em Manguinhos, onde desfilará no Papamóvel. Dali, partirá para Copacabana, para a Acolhida dos Jovens.

Dia 26 será de missa e encontros com jovens até as 18h, quando começará o grande evento em Copa: a Via Sacra. No sábado, 27, o Papa vai celebrar a Santa Missa na Catedral do Rio de Janeiro, às 9h. Depois se encontrará com representantes da classe dirigente do Brasil, almoçará com religiosos e terminará o dia no Campus Fidei, em Guaratiba, para a vigília com a juventude. Às 10h de domingo, rezará a Santa Missa no campus. Depois, retornará ao Sumaré e voltará a Roma às 19h.

Cantora ‘pescada’ em Vila Kennedy

De uma igreja na Vila Kennedy para o palco do Campus Fidei, em Guaratiba. A cantora lírica Gisele Diniz, nascida e criada na comunidade da Zona Oeste, vai realizar um sonho: cantar para o Papa no maior evento da Jornada.

A apresentação será no sábado, com uma encenação protagonizada pelo cantor Luan Santana. No palco, Gisele homenageará São Francisco de Assis ao lado da cantora lírica Mariana Lima.

A direção do evento optou pelo playback. “Achei melhor, porque vou estar nervosa”, diz Gisele. Na adolescência, Gisele fez dezenas de apresentações na Paróquia Cristo Operário, em Vila Kennedy.

“Me senti lisonjeada por ter sido a escolhida no meio de milhares de cantoras”, conta Gisele, que foi ‘pescada’ por um amigo da produção do evento.

Varginha%2C em Manguinhos%2C recebe obras para a vinda do Papa Francisco%2C no dia 25%2C que celebrará missa láAlessandro Costa / Agência O Dia

Varginha vive expectativa

Apesar de se sentirem no céu com a visita do Papa Francisco na comunidade de Varginha, no Complexo de Manguinhos, dia 25, moradores da região reclamam do atraso nas obras no local, que ainda não está pronto para receber o Pontífice.

A data de entrega prometida foi na segunda passada, mas só ontem a prefeitura iniciou a retirada de entulhos no campo de futebol onde ficará o Santo Padre.
Voluntários pretendem decorar o campo com 5 mil bolas amarelas e brancas (cores do Vaticano) e azuis e grená, do clube de futebol argentino São Lorenzo de Almagro, do qual Francisco é torcedor.

Oito integrantes da equipe de segurança do Vaticano estiveram ontem de manhã em Varginha, vistoriando o local.

Você pode gostar