Por tamyres.matos

Rio - Após uma rápida reunião privada com autoridades, entre elas a presidenta Dilma Rousseff, o Papa Francisco deixou o Palácio Guanabara na noite desta segunda-feira. O Sumo Pontífice chegou de carro à residência Assunção no Centro de Estudos do Sumaré, onde ficará hospedado do Rio. Durante a terça, segundo o cronograma oficial, o Papa deve ficar todo o dia no local.

O Santo Padre deixou Laranjeiras em direção à Zona Norte em um carro com os vidros fechados, mas sem película escura. Foram registrados protestos nos arredores da sede do executivo estadual. Manifestantes  chegaram na Rua Pinheiro Machado, no ponto mais próximo que é possível transitar do Palácio da Guanabara. Eles queimaram um boneco do governador Sergio Cabral.

Papa Francisco e Dilma durante solenidade no Palácio GuabanaraAlexandre Brum / Agência O Dia

O tumulto teve início após dois helicópteros deixarem o local, quando manifestantes se posicionaram em frente as grades de proteção. Os PMs atiraram balas de borracha em direção a dois ativistas que balançaram as grades.

Alguns deles reagiram com coquetéis molotov, o que motivou mais uma reação truculenta da PM, que atirou a esmo com bombas de efeito moral. Carros do Choque também entraram pela Pinheiro Machado e perseguiram os ativistas, que já estavam dispersados. Um manifestante foi atingido e, quando estava caído, levou choque de outro PM que passava na via. Algumas pessoas tentaram ajudá-lo, mas ele acabou sendo levado pelos policiais.

Manifestantes que entraram dentro das Lojas Americanas, na Rua das Laranjeiras, foram encurralados pelos homens do Choque, que jogaram bombas de gás lacrimogênio no local, onde crianças e senhoras estavam.

Ainda não há informações sobre detidos no local. Um fotógrafo da Francepress foi atingido no rosto e atendido por médicos e voluntários. Os PMs continuaram atirando com balas de borracha e bombas de gás nas vias do entorno. Um outro manifestante acabou atingido.

O MetrôRio informou que o acesso Catete da Estação Largo do Machado foi fechado. Representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) estão no local.

Você pode gostar