Por bferreira

Rio - A Quinta da Boa Vista ganhou, neste domingo, 50 confessionários especialmente fabricados para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). De acordo com a organização do evento, a Igreja Católica espera realizar entre 10 mil e 15 mil confissões por dia, em sete idiomas: português, inglês, espanhol, francês, italiano, alemão e polonês. Algumas terão como ouvinte o próprio Papa, que visitará o local na manhã de sexta-feira.

Fiéis aprovaram a instalação dos confessionários em uma área verde como a Quinta da Boa Vista%2C uma ajuda para aliviar a tensão antes da confissão Vitor Silva

Os confessionários foram projetados pelo arquiteto espanhol Ignácio Iñiguez de Onzono, de 58 anos, que trocou Bilbao pelo Rio em 1975. As peças são brancas, de madeira, em formato que lembra o Corcovado.

“É ótimo que os confessionários fiquem ao ar livre porque, assim, todos que quiserem podem participar desse momento de fé e se confessar”, elogia a dona de casa Laudicéia da Silva, 31 anos.

Para muitos, a ideia de instalar os confessionários a céu aberto também é importante para quebrar um pouco a apreensão na hora de se confessar. “É muito legal, porque o espaço é agradável. As pessoas ficam tensas na hora da confissão e a Quinta da Boa Vista é o lugar ideal para acabar com essa tensão”, observa a auxiliar de administração Carla Assis, de 25 anos.

Segundo a organização da JMJ, os confessionários são oficializados como local próprio para a confissão depois de terem sido benzidos por um padre ou por um bispo. Após a Jornada Mundial da Juventude, eles serão distribuídos para várias paróquias do Rio de Janeiro.



Reportagem: Mozer Lopes

Você pode gostar