Vírus H5N1 é detectado em mercado de aves vivas no Tibete, China

Até agora já faleceram 32 pessoas e 129 estão contagiadas com o novo vírus da gripe aviária H7N9

Por O Dia

Pequim (China) - As autoridades chinesas confirmaram nesta segunda-feira que detectaram o vírus da gripe aviária H5N1 em um mercado de aves vivas na região do Tibete, a oeste da China, apesar de por enquanto não ter sido registrada nenhuma pessoa contaminada. Segundo confirmou o Ministério da Agricultura do país em comunicado, 35 frangos de uma fazenda da prefeitura central de Nyingchi morreram na semana passada após exibir os sintomas desse vírus, divulgou a agência oficial "Xinhua". Após fazer os exames correspondentes, as autoridades confirmaram que as aves tinham contraído o vírus mortal H5N1.

As autoridades locais esterilizaram a zona e sacrificaram 372 frangos para prevenir a propagação da gripe aviária. Desde 2003 e com o último caso registrado no início deste ano, 23 pessoas morreram na China vítimas desse vírus. Agora, no entanto, o país asiático está sendo atingido por um novo tipo do vírus da gripe aviária, o H7N9, que até agora faleceram 32 em todo o país de um total de 129 contagiados. A última morte aconteceu na quinta-feira passada, dia 9 de maio, na província central de Henan.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) rejeita que o novo vírus seja transmitido entre humanos, mas sim pelo contato direto entre estes e aves vivas. Até o momento, a maioria dos casos de afetados pelo vírus está no leste da China, e 42 pessoas já se recuperaram.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência