Por juliana.stefanelli
Brasília - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, vai até Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, nesta terça-feira, fechar os últimos detalhes para visita da delegação boliviana ao Brasil. A proposta é que integrantes do governo da Bolívia venham ao Brasil até o final deste mês conhecer a experiência de combate ao tráfico de armas e drogas nas Unidades de Polícia Pacificadora (UPP), no Rio de Janeiro.
Além deste projeto, autoridades do governo brasileiro e boliviano reúnem-se até quarta-feira para tratar de projetos na área da segurança pública, entre eles fortalecimento na região de fronteira e combate às drogas.
Publicidade
Na avaliação do ministro Cardozo, a cooperação internacional dos dois países só fortalece ainda mais a repressão contra o crime organizado. “Há uma compreensão comum dos dois países sobre a importância de aumentar a fiscalização nas fronteiras, de trocar informações na área de inteligência e de coordenar as ações policiais na região”, destaca o ministro da Justiça.
Também está prevista para ocorrer em julho, em Corumbá (MS), o 8º Encontro da Comissão Bilateral Contra o Narcotráfico e Crimes Conexos. A expectativa é de trocar experiência entre os países, principalmente no combate à lavagem de dinheiro e trafico de entorpecentes.
Publicidade
As ações fazem parte de um acordo de cooperação firmado entre Brasil, Bolívia e Peru, no final de novembro, na capital do Peru, Lima. Na ocasião foi decida a criação de um grupo de trabalho para debater o monitoramento das fronteiras dos três países. O Brasil tem quase 6,5 mil quilômetros (km) de fronteiras com os dois países. São 3.462 km com a Bolívia e 2.995 km com o Peru.