Por bianca.lobianco
Bangladesh - O Exército de Bangladesh encerrou nesta terça-feira as buscas por sobreviventes no prédio comercial que desabou no último dia 24 e matou 1.127 pessoas. O acidente é considerado pelas autoridades a pior tragédia envolvendo trabalhadores no país. No edifício, funcionavam cinco fábricas, um supermercado e um banco. O controle da área foi transferido pelas equipes de resgate para a administração local.
O general Chowdhury Hasan Suhrawardy disse, no entanto, que serão mantidos os esforços para localizar todos os corpos. O acidente matou 1.127 pessoas e causou 2.438 feridos e 98 desaparecidos. Segundo as autoridades, 2.438 pessoas foram resgatadas com vida, incluindo uma jovem, de 18 anos, retirada dos escombros 16 dias depois da tragédia.
Publicidade
Os parentes e amigos dos desaparecidos formaram uma fila em frente a um escritório perto do local da tragédia para registrar o nome das pessoas pelas quais procuram. As autoridades de Bangladesh admitem que os desaparecidos podem estar mortos sob os escombros ou entre os 834 corpos encontrados.
Pelos dados oficiais, 834 corpos foram entregues às famílias, alguns identificados pelo aparelho celular que usavam ou pelo crachá. Ainda há mais de 50 corpos no necrotério. A tragédia chamou a atenção para a exploração e as péssimas condições de trabalho, desencadeando protestos dos operários e levando as autoridades do Bangladesh.