Por julia.amin

Nova York (Estados Unidos) - O ex-presidente da Guatemala, Alfonso Portillo, se declarou inocente nesta terça-feira perante um tribunal federal dos Estados Unidos das acusações de conspiração por lavagem de dinheiro.

Portillo compareceu perante o tribunal após ser extraditado aos EUA na sexta-feira passada, em uma audiência na qual se declarou inocente e sua defesa anunciou que pedirá sua libertação por meio do pagamento de uma fiança. Na audiência, foi fixado um período de um mês, até 28 de junho, para que a acusação e a defesa possam obter provas adicionais através de interrogatórios, declarações e documentos.

O ex-presidente guatemalteco foi acusado em janeiro de 2010 pela procuradoria federal do distrito do sul de Nova York de conspiração para a lavagem em contas bancárias dos EUA de dezenas de milhões de dólares obtidos ilegalmente durante seu mandato (2000-2004). Se for declarado culpado, Portillo pode ser condenado a um máximo de 20 anos de prisão e uma multa de US$ 500 mil ou o dobro do dinheiro implicado nas transações ilegais.

Você pode gostar