Por helio.almeida

Michael Adebowale, um dos detidos pelo assassinato do soldado britânico Lee Rigby no último dia 22 de maio em um bairro da capital britânica, recebeu sua acusação e ainda nesta quinta-feira deverá se apresentar perante a Corte de Magistrados de Westminster, informaram as autoridades locais.

Londres - Adebowale, de 22 anos, segue preso desde que recebeu alta do hospital em que foi tratado. Michael Adebowale e um segundo homem, identificado como Michael Adebolajo, de 28 anos, mataram a facadas o soldado em frente a um quartel militar de Woolwich, um ato terrorista, de acordo com o governo britânico.

Homem com as mãos sujas de sangue após ataqueReprodução Internet

No ataque, ocorrido no início da tarde, Adebowale e Adebolajo, ambos britânicos de origem nigeriana convertidos ao Islã, foram feridos a tiro após serem autuados pelas forças da ordem. Após serem detidos, ambos foram levados a um hospital de Londres, onde Adebolajo segue internado.

A Promotoria britânica informou que autorizou a polícia também apresentar acusações contra Adebowale por posse ilegal de arma e ressaltou que há provas suficientes provas para processá-lo. A polícia informou ontem que, segundo a autópsia praticada no corpo do soldado britânico, a causa da morte foi "múltiplos ferimentos".

O assassinato do militar, pai de um filho, comoveu o Reino Unido, que pôde ver a um dos suspeitos filmado por uma câmera instantes depois do ataque e ainda com as mãos ensanguentadas.

Você pode gostar