Por juliana.stefanelli
Caracas (Venezuela) - A rede Capriles, um dos principais conglomerados de imprensa da Venezuela, foi vendido a um grupo investidor deste país em uma operação que não teve muitos detalhes divulgados, informou o grupo nesta segunda-feira. O presidente da cadeia Capriles, Miguel Ángel Capriles López - um parente distante do líder opositor Henrique Capriles, que não tem nenhuma participação -, confirmou a venda do consórcio com todas suas empresas, marcas informativas, produtos e ativos a um conhecido grupo investidor venezuelano.
"A aquisição é de parte de um conhecido grupo investidor venezuelano", acrescentou Capriles López sem dar mais detalhes dos compradores. A venda da Capriles é a segunda na imprensa venezuelana nas últimas semanas, depois que, em meados de maio, a venda do canal Globovisión, de linha crítica ao Governo, foi confirmada aos empresários Raúl Gorrín, Juan Domingo Cordero e Gustavo Perdomo.
Publicidade
A Capriles assinalou que a "negociação foi estipulada no último dia 31 de maio" e será concretizada em um "período de transição de 60 dias", a partir dos quais os novos acionistas tomarão as rédeas da organização, informou o comunicado divulgado pela emissora. A rede Capriles tem entre suas marcas o jornal "Últimas Notícias", uma das maiores tiragens do país; "El Mundo Economia e Negócios", jornal que lidera o segmento de informação financeira, e o "Líder en Deportes", referência no jornalismo esportivo.