Por juliana.stefanelli
Washington (Estados Unidos) - A primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, confrontou nesta terça-feira uma manifestante que interrompeu seu discurso durante um evento de arrecadação de fundos em Washington e, inclusive, chegou a ameaçar abandonar o ato se a mulher citada não se calasse.
No momento em que Michelle discursava no ato de arrecadação de fundos para o Partido Democrata, realizado em uma residência privada em Washington, a ativista, identificada como Ellen Sturtz, decidiu interromper a primeira-dama.
Publicidade
Ellen, de 56 anos, tomou a palavra da primeira-dama quase no final de seu discurso, que já durava aproximadamente 20 minutos, para exigir que o presidente Barack Obama firmasse uma ordem executiva contra a discriminação aos homossexuais e, desta forma, "proteger 22% da força de trabalho do país".
Michelle Obama Reprodução Internet

Segundo testemunhas, a primeira-dama se mostrou visivelmente incomodada com a interrupção da ativista, integrante do grupo GetEQUAL, que defende os direitos dos homossexuais. "Uma das coisas que não sei fazer bem é isto. Entendem?", declarou Michelle ao ser interrompida pela ativista, segundo uma transcrição de seu discurso divulgada pela Casa Branca.

Uma jornalista que costuma cobrir os acontecimentos na Casa Branca e presenciou o ato declarou que Michelle Obama abandonou o pódio, se aproximou da manifestante para confrontá-la e advertiu que, se a mesma não parasse, ela abandonaria o ato.
Publicidade
Foi então que os participantes pediram à primeira-dama permanecer no evento, enquanto a manifestante teria sido expulsa do ato. O grupo GetEQUAL, que enviou outros três ativistas ao ato, quer que o presidente Obama articule uma ordem executiva que proíba a discriminação de gênero e orientação sexual em contratos federais.