Por juliana.stefanelli

Jerusalém (Israel) - Um vigilante de segurança de Israel matou nesta sexta-feira um homem no Muro das Lamentações de Jerusalém, porque o ouviu gritar "Alá é grande" e tirar algo do bolso, o que o fez temer que se tratava de um terrorista, afirmou o homem.

O fato ocorreu no começo da manhã nos banheiros da esplanada do Muro das Lamentações, quando já havia bastante gente nas imediações daquele que é o lugar mais sagrado para o judaísmo. Um médico relatou ao site do jornal "Yedioth Ahronoth" que o homem, de 45 anos, sofreu vários disparos na parte superior do corpo, e que tinha morrido por causa dos ferimentos antes de chegar ao serviço de urgência médica.

A vítima é um judeu israelense conhecido nas imediações do Muro das Lamentações, onde costumava passar muitas horas do dia. "Eu o conheço há três anos e sempre passeava por ali, protestando contra o governo. Nesta manhã estava sentado lendo o jornal como faz todos os dias", relatou uma testemunha ao "Ynet".

Outra testemunha afirmou que a vítima "sempre teve um comportamento estranho, mas que era conhecido" por todos.Nos arredores do Muro das Lamentações é constante a presença de moradores de rua que pedem dinheiro aos peregrinos locais e estrangeiros que visitam o lugar, muitos deles fazendo profecias como a chegada do messias ou entoando passagens da Bíblia.

O porta-voz da polícia israelense, Miki Rosenfeld, declarou  que o caso está sendo investigado e que estão tentando esclarecer "as razões que levaram o vigilante a atirar".

Você pode gostar