Corte uruguaia antecipa votação por referendo sobre o aborto

Segundo secretária da Corte, opositores ao aborto não chegarão aos 25% necessários para que seja convocada a consulta popular

Por O Dia

Montevidéu (Uruguai) - A Corte Eleitoral do Uruguai antecipou neste domingo, ao anunciar o fechamento das mesas de votação, que o "ato de adesão" voluntário no qual os uruguaios decidiram nesta segunda-feira se será realizado um referendo sobre a descriminalização do aborto aprovada em 2012, teve um baixo nível de participação e pode ter fracassado.

"Às 19h30 (local), todas as cerca de 3.500 mesas foram fechadas e não houve nenhuma necessidade" para que fosse atrasado o fechamento de algum delas porque "não havia eleitores esperando e nem filhas", afirmou Mariella Demarco, a secretária letrada da Corte.

Segundo Mariella, "às 17h (hora local) havia 7% de aderentes" e "a estimativa" do órgão eleitoral, que nas próximas horas dará os resultados oficiais, é que os opositores ao aborto "não chegarão aos 25%" necessários para que seja convocada a consulta popular.

Os promotores do referendo tinham que conseguir que um quarto do eleitorado do país, cerca de 655 mil eleitores, respaldasse sua proposta em um dia de votação voluntária que foi marcado pela baixa participação.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência