Por nara.boechat

Santiago (Chile) - O goleiro chileno Johnny Herrera, do Universidad do Chile, foi condenado nesta quinta-feira a 41 dias de prisão, que poderão ser cumpridos em liberdade vigiada, pelo atropelamento que matou uma jovem em dezembro de 2009 em Santiago, segundo fontes da Justiça.

A decisão do Terceiro Tribunal Oral Penal da capital chilena determinou, também, a suspensão da carteira de motorista de Herrera por um período de dois anos, dos quais já cumpriu 538 dias, e a pagar as despesas do julgamento.

A sentença contra o goleiro, que foi convocado para a seleção do Chile recentemente, foi divulgada nesta quinta-feira após o atleta ter sido considerado culpado pelo homicídio culposo da jovem Macarena Cassasus. Segundo a sentença, o jogador dirigia em excesso de velocidade e estava desatento quando atingiu a estudante, em uma madrugada em Santiago.

Durante o julgamento, a Promotoria, que buscava uma pena de cinco anos de prisão para Herrera, não conseguiu provar que o goleiro estava alcoolizado no momento do atropelamento. A defesa, por sua vez, revelou que para tentar acalmar a família, o goleiro a indenizou com US$ 50 mil.

Patrício Cassasus, pai da vítima, se mostrou revoltado com a decisão da justiça chilena. "Ele (Herrera) tinha todo o poder do mundo para defender-se, tinha muito dinheiro para tal, pois é um personagem que produz dinheiro, ao contrário de minha filha", criticou.

Você pode gostar