Destino de Snowden depende da Rússia, diz Corrêa

Ex-funcionário de inteligência dos Estados Unidos está isolado

Por O Dia

Equador - O presidente do Equador, Rafael Correa, disse neste domingo que o destino do ex-funcionário de inteligência dos Estados Unidos Edward Snowden está nas mãos de autoridades na Rússia, onde ele está isolado com esperanças de receber asilo no país sul-americano.

Correa disse que seu governo não pode começar a considerar o pedido de Snowden, que é procurado por Washington após divulgar informações condienciais sobre um programa de vigilância, até que ele chegue ao Equador ou a uma embaixada equatoriana.

O ex-funcionário da Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês) de 30 anos não foi capaz de deixar o aeroporto internacional de Moscou.

"Cabe às autoridades russas decidir se ele pode deixar o aeroporto de Moscou com destino à embaixada equatoriana", disse Corream em entrevista à Reuters na cidade costeira de Portoviejo.

"Ele será tratado como qualquer outro cidadão, apesar de não ter um passaporte. Está claro que essa é uma situação especial".

Correa disse que o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, que recebeu asilo no ano passado na embaixada equatoriana em Londres, não perdeu o apoio do país apesar de contribuir para uma confusão sobre um documento de viagem emitido para Snowden pelo governo equatoriano.

"Nesses casos em que há a necessidade de responder com urgência, também é possível cometer erros, mas o sr. Assange continua desfrutando de nosso apoio, respeito e apreciação", disse.

Correa disse que envia seus melhores desejos a Snowden e pediu que ele "mantenha seu ânimo elevado" enquanto busca escapar de seu limbo.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência