Por juliana.stefanelli

Berlim (Alemanha) - O governo da Noruega informou nesta segunda-feira que a jovem, Marte Debroah Dalelv, que foi condenada em Dubai a um ano e quatro meses de prisão após ter denunciado que tinha sido estuprada, foi libertada e autorizada a deixar o emirado.

"Marte está livre, graças a todos os que nos ajudaram", afirmou o ministro das Relações Exteriores norueguês, Espen Barth Eide, através do Twitter, O caso de Marte Debroah Dalelv, de 24 anos, suscitou uma onda de indignação na Noruega e levou o governo do país a intervir com o emirado para conseguir uma solução diplomática para o assunto.

Jovem foi presa após apresentar uma denúncia de violência sexual no último mês de marçoReuters

A jovem foi presa após apresentar uma denúncia de estupro no último mês de março. Ela foi julgada e condenada a 16 meses de prisão por consumo de álcool, conduta imprópria e por manter relações sexuais fora do casamento.

Marte relatou a diversos veículos da imprensa norueguesa que estava em uma viagem de negócios em Dubai e, após voltar de uma festa, um colega de trabalho a agrediu, a levou para seu quarto e a violentou. A jovem decidiu denunciar o ocorrido, mesmo tendo sido advertida que seu caso não seria levado a diante em Dubai, e acabou presa.

Marte ficou praticamente incomunicável em uma cela por vários dias, até que finalmente conseguiu fazer contato telefônico com seus familiares e com o consulado norueguês. Na semana passada foi ditada a sentença que a declarou culpada e condenada a 16 meses de prisão, além da apreensão de seu passaporte. Graças às intervenções do consulado, a jovem foi colocada sob custódia de uma instituição religiosa, mas estava impedida de sair de Dubai, pois seu passaporte estava apreendido.

Você pode gostar